Busca avançada
Ano de início
Entree

Reconfigurações da atividade científica em biomedicina no século XXI: implicações para a agenda de pesquisa sobre o câncer

Processo: 12/08001-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 05 de setembro de 2012
Vigência (Término): 04 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Maria Conceição da Costa
Beneficiário:Renan Gonçalves Leonel da Silva
Supervisor no Exterior: Jane Calvert
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Edinburgh, Escócia  
Vinculado à bolsa:11/14894-8 - Plataformas de Reprodução do Conhecimento Científico em Oncogenômica, BP.MS
Assunto(s):Sociologia da tecnologia   Oncologia   Medicina   Pesquisa biomédica

Resumo

Esse projeto busca atualizar o ferramental analítico-conceitual emergente no campo dos Estudos Sociais da Ciência, Tecnologia e Medicina, que discute as transformações na atividade científica e na produção do conhecimento biomédico no século XXI. De forma a contribuir com o projeto principal "Plataformas de reprodução do conhecimento científico em Oncogenômica" (2011/14894-8), este trabalho visa contextualizar a nova agenda epistêmica sob o qual está sustentada a atividade pesquisa clínica em oncologia e biologia molecular do câncer. O objetivo é se aproximar de novos conceitos de análise da dinâmica da ciência contemporânea, entendendo melhor como o conhecimento biomédico é produzido, negociado e compartilhado internacionalmente. Noções como "data-driven research" e "epistemic organization" reafirmam o papel da tecnologia e da governança na produção da pesquisa biológica e biomédica. Essa revisão pretende aprimorar o escopo teórico do projeto principal e assimilar novos conceitos debatidos no Innogen - ESRC Centre for Social and Economic Research on Innovation and Genomics, localizado no ISSTI - Institute for the Study of Science, Technology and Innovation, da University of Edinburgh, UK. É fundamental inserir a pesquisa brasileira nesse diálogo e comparar como as categorias e estruturas de regulação da evidência biomédica são construídas em países com distintas trajetórias de desenvolvimento econômico e social. (AU)