Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do desenvolvimento infantil de crianças submetidas a estimulação psicomotora e sensorial

Processo: 98/02986-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Aperfeiçoamento
Vigência (Início): 01 de setembro de 1998
Vigência (Término): 31 de agosto de 1999
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição
Pesquisador responsável:José Eduardo Dutra de Oliveira
Beneficiário:Patrícia de Souza Almeida
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Anemia ferropriva   Desenvolvimento infantil   Desnutrição infantil   Estimulação

Resumo

A desnutrição e a anemia ferropriva são carências nutricionais que apresentam uma alta incidência em todo o mundo, especialmente nos países em desenvolvimento. A nutrição pobre influencia o desenvolvimento de várias formas; incluindo retardo do crescimento corporal e cerebral; prejuízo do próprio funcionamento de processos bioquímicos ou metabólicos; redução no gasto de energia do organismo e diminuição da atividade social. Alguns estudos caracterizam as crianças com deficiências nutricionais como sendo menos ativas, mais inibidas e tímidas, menos responsivas e atentas, vocalizando e movimentando-se menos. Alguns destes estudos têm demonstrado que estas crianças, após uma reabilitação nutricional, apresentam melhora no desenvolvimento; enquanto outros não têm observado nenhum tipo de melhora mesmo quando grupos deficientes, placebo e controles são comparados entre si. Grande parte desses estudos têm sido realizados com crianças 6 a 24 meses de idade, quando ocorre a fase de crescimento acelerado do encéfalo, podendo levar a vários prejuízos no desenvolvimento cognitivo. Tais estudos têm utilizado as Escalas Bayley do Desenvolvimento Infantil, que fornecem uma base tripartida para avaliação do desenvolvimento da criança nos três primeiros anos de vida. Suas três partes - Escala Mental, Escala Motora e Registro do Comportamento Infantil - são complementares e fornecem, cada uma, uma contribuição distinta à avaliação clínica. Existem evidências de que a estimulação ambiental e/ou tátil pode melhorar certos aspectos do desenvolvimento de crianças de risco (desnutridas, prematuras, deficientes e institucionalizadas), onde o nível de estimulação e freqüentemente deficiente. No entanto, os possíveis efeitos da estimulação ambiental e sensorial, associada à terapia nutricional, ainda não estão claros. Portanto os objetivos deste estudo serão: a) avaliar as alterações ocasionadas por carências nutricionais (anemia ferropriva e desnutrição) em crianças através de medidas do desenvolvimento (Escalas Bayley do Desenvolvimento Infantil); b) analisar os efeitos de uma suplementação alimentar associada à estimulação ambiental sobre o comportamento de crianças com carências nutricionais (anêmicas e/ou desnutridas). Neste estudo serão incluídas crianças de creche, com faixa etária entre 6 a 36 meses de idade, que serão submetidas a avaliações clínicas e antropométricas, hematológicas, neurofisiológicas e do desenvolvimento infantil, realizadas no inicio da fase experimental (D0) e no final de 80 dias de recuperação nutricional (D80). (AU)