Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do uso de antidepressivos nos níveis plaquetários da ADAM10 na doença de Alzheimer

Processo: 12/01936-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Márcia Regina Cominetti
Beneficiário:Otávio Augusto Fernandes Marques Bianco
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Envelhecimento   Biomarcadores   Doença de Alzheimer   Antidepressivos   Idosos

Resumo

A doença de Alzheimer (DA) é a causa mais comum de demência em pessoas com mais de 65 anos de idade, tanto no Brasil, como no mundo. Cerca de 50% de pacientes com DA desenvolvem algum sintoma depressivo. A depressão (DP) é uma doença que vem ganhando importância dentro do grupo das patologias psiquiátricas, uma vez que cerca de 20% da população mundial já sofreu de DP. Os idosos constituem uma parcela da população largamente afetada por esta patologia, uma vez que as mudanças biopsicossociais que ocorrem durante este período da vida - aposentadoria, doenças físicas, mudança do papel social, mudança do papel dentro da família - causam grande desequilíbrio emocional. O tratamento desta patologia é realizado com antidepressivos, que são divididos em três classes principais: tricíclicos e tetracíclicos, inibidores da MAO e inibidores da recaptação de serotonina. Nas últimas décadas, a DA tem saído da obscuridade de uma doença rara, para ser considerada como o principal problema de saúde pública entre idosos, mundialmente. Até o presente momento, não existe uma cura para a DA e o diagnóstico precoce ainda não está estabelecido. Os marcos patológicos da DA são a formação de emaranhados fibrilares e placas senis, geradas pela hiperosforilação da proteína Tau e acúmulo do peptídeo ²-amilóide (²A), respectivamente. Este, é formado pela clivagem da proteína precursora amiloide (APP) por ² e g-secretases. As ADAMs são a-secretases que atuam clivando a APP em uma região que impede a formação do ²A. Estudos envolvendo a ADAM10 têm demonstrado diminuição na sua expressão em pacientes com DA. Um estudo realizado pelo nosso grupo de pesquisa também mostrou o mesmo resultado. Entretanto alguns dos sujeitos desta pesquisa faziam uso de antidepressivos. Portanto, o objetivo geral deste projeto é verificar a influência do uso destes medicamentos na expressão da proteína ADAM10. Trata-se de um estudo caso-controle, baseado nos pressupostos da pesquisa quantitativa e todos os cuidados éticos serão observados. Devido a relevância dos números de incidência e prevalência da depressão em idosos torna-se necessário estudar quais os efeitos dos antidepressivos na expressão da proteína ADAM10, estabelecendo assim um parâmetro para os estudos deste biomarcador.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FERNANDES MARQUES BIANCO, OTAVIO AUGUSTO; MANZINE, PATRICIA REGINA; CRISPIM NASCIMENTO, CARLA MANUELA; CARVALHO VALE, FRANCISCO ASSIS; IOST PAVARINI, SOFIA CRISTINA; COMINETTI, MARCIA REGINA. Serotoninergic antidepressants positively affect platelet ADAM10 expression in patients with Alzheimer's disease. INTERNATIONAL PSYCHOGERIATRICS, v. 28, n. 6, p. 939-944, JUN 2016. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.