Busca avançada
Ano de início
Entree

Proteção das vitaminas quanto as reações de foto-oxidação induzidas pela riboflavina e derivados

Processo: 12/08194-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica
Pesquisador responsável:Mauricio da Silva Baptista
Beneficiário:Natalia Angeluzzi Cunha
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Processos fotoquímicos   Oxigênio singleto   Riboflavina   Foto-oxidação   Vitaminas

Resumo

A Riboflavina pertence ao grupo de flavinas, as quais possuem uma grande versatilidade química, estando envolvidas em diversos processos biológicos, incluindo a catalise da deshidronização de inúmeros substratos, as transferências monoelétronicas com metais quando em seu estado radicalar, e a quebra de fotoprodutos genotóxicos no DNA. Por outro lado, as flavinas também estão envolvidas em processos foto-oxidativos, que são responsáveis por diversos danos causados à pele, inclusive o envelhecimento precoce e o câncer. Sabe-se que a riboflavina pode gerar diversas espécies oxidantes através dos mecanismos de fotossensibilização tipo I e tipo II, gerando radicais livres e oxigênio singlete, e que as vitaminas são importantes alvos destas espécies. Por um lado as vitaminas exercem um papel importante na proteção das células sob irradiação, mas no entanto, a diminuição da atividade das vitaminas enfraquece as chances de manutenção da homeostase celular. A atividade das vitaminas tem sido entendidas como agentes antioxidantes, mas os mecanismos envolvidos no que concerne as espécies reativas geradas por luz, são raramente caracterizadas. Este projeto tem como finalidade quantificar a capacidade supressora e os mecanismos de supressão de diversas vitaminas hidrossolúveis e lipossolúveis frente as espécies reativas geradas pela riboflavina. Consequentemente, o objetivo genérico deste projeto é compreender o mecanismo de ação destas vitaminas nos mecanismos de proteção da pele quanto ao dano induzido por luz. Utilizaremos derivados da riboflavina que foram sintetizados (2',3',4',5'-tetracarboxi-riboflavina e o 2',3',4',5'-tetraacil-riboflavina), que são solúveis em solventes aquosos e orgânicos, respectivamente, para não nos restringirmos aos poucos solventes quais a riboflavina e as vitaminas são é solúveis. Como ferramentas experimentais utilizaremos técnicas comumente utilizadas na caracterização da reatividade de espécies excitadas transientes.