Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão, purificação, cristalização e ensaios funcionais da enzima beta-galactosidase da Arqueobactéria Haloterrigena turkmenica

Processo: 12/08402-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Igor Polikarpov
Beneficiário:Fernando Peron Magrini
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/56255-9 - Structure and function of enzymes and auxiliary proteins from Trichoderma, active in cell-wall hydrolysis, AP.BIOEN.TEM
Assunto(s):Cristalização   Purificação   beta-Galactosidase   Cristalografia

Resumo

A parede vegetal é composta por lignocelulose, que inclui três componentes primordiais: a celulose, a hemicelulose e a lignina. As enzimas do tipo glicosil hidrolases atuam nessas ligações entre açucares da parede vegetal. Em razão disso, essas enzimas se tornaram um importante alvo para a degradação da parede através da rota enzimática. Em particular, a enzima beta-galactosidase atua em ligações do tipo ²(1’4) em uma molécula de lactose. Essa enzima é conhecida também por produzir uma gama de produtos secundários em sua reação, conhecidos como galactooligossacarídeos, que são utilizados como prebióticos em vários tipos de alimentos funcionais, como iogurtes. Por ser a principal fonte de galactooligossacarídeos no mundo, as beta-galactosidases se tornaram um alvo de grande interesse industrial e biotecnológico. Nosso objetivo expressar, purificar, cristalizar e realizar testes bioquímicos e cinéticos da beta-galactosidase da arqueobactéria Haloterrigena turkmenica, que cresce em condições extremas de salinidade, além de ser considerada termofílica. Os resultados desse estudo irão ajudar a compreensão dos mecanismos moleculares de ação dessas enzimas.