Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de conforto térmico em ambientes naturalmente ventilados. Um exemplo em restaurantes universitários.

Processo: 11/15461-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Lucila Chebel Labaki
Beneficiário:Brenda Rodrigues Coutinho
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Adequação ambiental   Conforto térmico

Resumo

No Brasil, a avaliação do conforto térmico é uma área que tem sido cada vez mais abordada pelos pesquisadores. As condições de conforto são regulamentadas por normas técnicas nacionais e internacionais, as quais indicam os parâmetros para que os usuários estejam em condição de conforto em função dos valores-limite de temperatura do ar, umidade do ar e velocidade do ar. Estes padrões também estão relacionados ao tipo de atividade exercida e à vestimenta utilizada. Os índices PMV - Predicted Mean Vote (Voto Médio Estimado - VME) e PPD - Predicted Percentage of Dissatisfied (Porcentagem Estimada de Insatisfeitos - PEI) adotados pela norma ISO 7730, 2005, são utilizados para avaliação do conforto térmico em ambientes termicamente moderados. A última versão da ASHRAE 55, no ano de 2004, se baseia nas mesmas condições determinadas pela ISO 7730, mas adota um percentual de desconforto máximo de 20% (-0,82

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
COUTINHO, Brenda Rodrigues. Avaliação de conforto térmico em ambientes naturalmente ventilados : um exemplo em restaurante universitário. 2014. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.