Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização de novos eletrodos para uso na detecção de traços de íons metálicos biotóxicos no ambiente

Processo: 12/10769-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2012
Vigência (Término): 31 de outubro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Mauro Bertotti
Beneficiário:Roselyn Millaray Castañeda Peña
Supervisor no Exterior: Christopher Michael Ashton Brett
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: Universidade de Coimbra (UC), Portugal  
Vinculado à bolsa:11/19114-0 - Detecção, remoção e recuperação de metais pesados com nanopartículas magnéticas funcionalizadas, BP.PD
Assunto(s):Eletroquímica   Espectroscopia de impedância   Microeletrodos   Íons metálicos   Voltametria de redissolução

Resumo

Os metais pesados são difíceis de remover do ambiente e, ao contrário de muitos outros poluentes, não podem ser quimicamente ou biologicamente degradados, sendo indestrutíveis. Hoje, muitos metais pesados constituem um perigo para o meio ambiente, as análises de amostras do ar, da água e do solo indicam que a contaminação e a acumulação de metais tóxicos estão aumentando continuamente. Portanto as determinações de metais pesados tornam-se importante. Os métodos eletroquímicos corriqueiramente recorrem à possibilidade de concentrar o analito na superfície do eletrodo em etapa prévia, para posterior oxidação anódica do material acumulado. A maioria das análises de metais pesados ocorre em amostras naturais, usualmente contendo algumas substâncias que reagem ou se adsorvem na superfície do eletrodo. Estas substâncias normalmente adsorvem na superfície do eletrodo bloqueando ou perturbando a deposição do analito. Portanto, o objetivo do presente trabalho é desenvolver eletrodos modificados com filmes de bismuto e com Nafion como película protetora para a determinação de Cu2+, Pb2+ e Cd2+. Particular interesse será endereçado à fabricação de microeletrodos de dimensões micrométricas e com tempos de resposta curtos, para que as determinações sejam realizadas no local da amostragem e com a tentativa de baixar os limites de detecção para a quantificação dos íons metálicos. As propriedades da região interfacial dos eletrodos modificados serão investigadas através de espectroscopia de impedância eletroquímica com particular ênfase para a detecção dos íons metálicos por voltametria de redissolução anódica. (AU)