Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de marcadores de células epiteliais Através de RT-PCR em tempo real para detecção de células tumorais circulantes (CTCs) na fração mononuclear do sangue periférico de pacientes com câncer de mama durante o tratamento quimioterápico

Processo: 11/22746-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Fernando Luiz Affonso Fonseca
Beneficiário:Sarah Rodrigues Marsicano
Instituição-sede: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André , SP, Brasil
Assunto(s):Quimioterapia   Neoplasias mamárias   Neoplasias

Resumo

O risco de recaída tumoral subseqüente de uma neoplasia mamária ressecável - principal fator para se indicar a aplicação de quimioterapia adjuvante a uma paciente é extrapolado a partir das características do tumor e não na detecção de células tumorais residuais na paciente. Tal situação se deve à inexistência, atualmente, de métodos complementares de rotina sensíveis para detectar uma quantidade muito pequena de tumor mamário residual (doença residual mínima DRM) em uma paciente submetida a uma cirurgia, com intuito curativo para uma neoplasia primariamente ressecável. Evidências na literatura corroboram a detecção de doença residual mínima em pacientes com câncer de mama, utilizando várias técnicas como a imuno-histoquímica, imuno-citoquímica (SCHOENFELD et al., 1997; BRAUN et al., 2000) citometria de fluxo (FERRERO et al., 1990) e a reação da polimerase em cadeia (MANHANI et al., 2001; FONSECA et al., 2002). Estudos realizados pelo nosso grupo demonstraram que é possível acompanhar pacientes e detectar antígenos epiteliais (CK 19-9 e Her 2 ) em pacientes com câncer de mama durante o tratamento quimioterápico utilizando RT-PCR qualitativo. Esses antígenos são expressos por células oriundas de tecidos epiteliais como os tumores mamários e que não são geralmente expressos, entretanto, por células hematológicas (MANHANI et al., 2001; FONSECA et al., 2002). O significado clínico destes achados, no entanto, está atualmente em intensa investigação e então com novas ferramentas de biologia molecular poderíamos melhorar as técnicas de detecção, a exemplo disso foi aventada a possibilidade de utilizarmos RT-PCR quantitativo em tempo real. De fato, já foi demonstrado que a detecção de células tumorais circulantes pode ser útil na triagem, no prognóstico e no monitoramento do tratamento proposto pela clínica. É de importância ressaltar que apesar de RT-PCR quantitativo ser muito sensível e detectar quantidades pequenas de células tumorais precisa-se padronizar os marcadores ou antígenos a serem estudados para cada tipo de câncer (melanoma, mama, cólon, esôfago, cabeça e pescoço e pulmão) (XI et al., 2007). Esses autores comparam diferentes marcadores comparando o tecido tumoral com sangue periférico e verificaram que os tecidos tumorais expressavam até 1000 vezes mais que o sangue periférico normal. Além do que já existem relatos em que se pode substituir imuno-histoquímica pelo RT-PCR quantitativo em tempo real para a verificação da expressão do gene Her 2 em tecidos neoplásicos mamários (SCHLEMMER et al., 2004). Isso nos possibilita estudar a expressão desses marcadores na fração mononuclear do sangue periférico através de RT-PCR quantitativo em tempo real em amostras de sangue periférico de mulheres portadoras de câncer de mama. Essas amostras serão obtidas durante o tratamento quimioterápico e ainda relacionaremos esses achados com o perfil clínico das pacientes e tipo de tratamento proposto. Dessa maneira propomos uma metodologia para monitorar o tratamento proposto a paciente e verificar como se comporta a doença residual mínima no câncer de mama caracterizada pela detecção de células tumorais circulantes.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARSICANO, S. R.; KUNIYOSHI, R. K.; GEHRKE, F. S.; ALVES, B. C. A.; AZZALIS, L. A.; FONSECA, F. L. A. Survinin expression in patients with breast cancer during chemotherapy. TUMOR BIOLOGY, v. 36, n. 5, p. 3441-3445, MAY 2015. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.