Busca avançada
Ano de início
Entree

Características morfogênicas de amendoim forrageiro (Arachis Pintoi Krapovickas & Gregory cv. Belmonte) submetido a intensidades de pastejo sob lotação contínua

Processo: 12/04493-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Pastagens e Forragicultura
Pesquisador responsável:Sila Carneiro da Silva
Beneficiário:Cleunice Auxiliadora Fialho
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Morfogênese   Amendoim forrageiro   Pastejo contínuo

Resumo

As leguminosas forrageiras possuem duas funções principais nos ecossistemas pastagens: fixação de N e produção de forragem de qualidade. Essas características contribuem para sistemas pecuários sustentáveis e produtivos, uma vez que reduzem a necessidade de uso de fertilizantes nitrogenados. Nesse cenário, o amendoim forrageiro tem-se mostrado promissor, uma vez que possui capacidade de competir e persistir com gramíneas tropicais em função de seu hábito de crescimento e forma de propagação. Contudo, o conhecimento acerca do comportamento e respostas dessa planta forrageira sob condições de pastejo é ainda escasso, dificultando o planejamento de seu uso em sistemas de produção animal. O propósito deste experimento é caracterizar as respostas morfogênicas do amendoim forrageiro (Arachis pintoi Krapovickas & Gregori cv. Belmonte) submetido a intensidades de pastejo sob lotação contínua como forma de descrever as estratégias de crescimento e desenvolvimento e como elas interferem na produtividade e longevidade dessa planta forrageira. O experimento será realizado em área experimental da ESALQ/USP, em Piracicaba, SP, de novembro de 2012 a abril de 2014. Os tratamentos corresponderão a intensidades de pastejo caracterizadas por quatro alturas de dossel (5, 10, 15 e 20 cm) a serem mantidas constantes por meio de lotação contínua e taxa de lotação variável, e serão alocados às unidades experimentais (piquetes de 210 m2) segundo delineamento de blocos completos casualizados, com quatro repetições. As variáveis-resposta avaliadas serão: taxas de aparecimento, alongamento e senescência de folhas, taxa de alongamento de estolões e pecíolos, duração de vida das folhas, número de folhas vivas por estolão, densidade populacional de pontos de crescimento e de pontos de enraizamento. A amplitude de valores escolhidos para intensidades de pastejo (alturas de 5, 10, 15 e 20 cm) deverá permitir um contraste adequado entre tratamentos (severo, moderado, leniente e muito leniente, respectivamente), de forma que as respostas funcionais das plantas possam ser estudadas e bases para o manejo do pastejo dessa planta forrageira determinadas.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FIALHO, Cleunice Auxiliadora. Características morfogênicas e estruturais de amendoim forrageiro (Arachis pintoi krapovickas & Gregory cv. Belmonte) submetido a intensidades de pastejo sob lotação contínua. 2015. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.