Busca avançada
Ano de início
Entree

Proliferação e morte celular (apoptose) avaliadas em ratos Lewis após tratamento com mistura de praguicidas em baixas doses

Processo: 12/07563-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Carla Adriene da Silva Franchi
Beneficiário:Ana Beatriz Missio Vieira da Rocha
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Ratos   Transformação celular neoplásica   Apoptose   Proliferação celular

Resumo

O presente projeto pretende utilizar material de um estudo prévio (FAPESP 06/60506-9) que buscou avaliar o potencial hepatocancerígeno de uma mistura de cinco praguicidas agrícolas. Naquele estudo, os praguicidas dieldrin, dicofol, endosulfan, diclorvos e permetrina, cujos resíduos foram detectados em tomates pela ANVISA em 2004 , foram misturados à ração basal e fornecidos a ratos Lewis machos. A mistura foi feita de forma a se ter uma ração com os praguicidas em nível dos respectivos NOEL/NOAEL e outra em nível dos LEL/LOEL/LOAEL, determinados em estudos crônicos. O presente projeto tem como objetivo específico analisar os fenômenos de proliferação e morte celular (apoptose) em fígado de ratos tratados com aquelas rações. A avaliação será realizada em fígado de animais provenientes de dois experimentos. No primeiro (Delineamento A), os animais foram tratados de acordo com modelo de iniciação/promoção da hepatocarcinogênese de Ito et al. (1988), no qual a iniciação é feita com dietilnitrosamina (DEN) e a promoção é potencialmente desenvolvida pela mistura de praguicidas. No segundo experimento (Delineamento B), os animais foram tratados durante 8 semanas, a partir da 6ª semana de idade, somente com rações contendo cada uma das misturas dos praguicidas. O presente projeto de Iniciação Científica propõe a avaliação, em ambos os experimentos, do índice de proliferação celular hepático (IM = No de hepatócitos imunomarcados/No total de hepatócitos analisados x100) pela marcação imunoistoquímica anti-KI-67 (clone SP6, Abcam) e índice de apoptose (número de células marcadas/cm2) pela marcação anti Caspase 3-clivada (Cell Signaling Technology, Beverly, MA).