Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da eficiência energética da envoltória e da iluminação do bloco 1 - campus da UNIMEP em Santa Bárbara D Oeste

Processo: 12/08794-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Adriana Petito de Almeida Silva Castro
Beneficiário:Mariana Linkevicius Vieira
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo. Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Instituto Educacional Piracicabano. Santa Bárbara D'Oeste , SP, Brasil
Assunto(s):Eficiência energética   Conforto ambiental   Iluminação

Resumo

O processo de globalização e a instauração de uma economia altamente competitiva vêm exigindo das empresas maior eficiência em suas atividades. Adequar um prédio aos padrões de eficiência energética pode significar o encarecimento da construção, porém, em longo prazo um edifício sustentável gera a redução nas despesas e nos impactos ambientais. Além disso, a eficiência energética muitas vezes está ligada a melhoria na qualidade do ambiente de trabalho e do processo produtivo. Atender ao bem estar do ser humano é uma das funções dos espaços construídos, de modo que se possibilite o desenvolvimento das atividades com conforto em todos os aspectos. A melhoria da eficiência energética e a preocupação com a introdução do edifício no meio ambiente deveria ser uma preocupação constante, tanto em sua concepção e construção, quanto por parte dos futuros usuários da edificação.Em 2008, foi desenvolvida uma parceria entre a estatal Eletrobrás e o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), a Etiquetagem de Eficiência Energética de Edificações, que faz parte do Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE). A etiqueta tem como objetivo combater o desperdício e incentivar o uso racional da energia nos edifícios residenciais, comerciais, públicos e de serviços. A metodologia usada para a avaliação é a mesma que o Programa já utiliza para os testes de eficiência energética em aparelhos domésticos, mas com critérios diferentes. No caso dos edifícios, a etiqueta leva em conta, basicamente, três aspectos: envoltória, sistema de iluminação e condicionamento de ar. Cada quesito recebe uma classificação entre A, que é o melhor nível de eficiência, e E, que é o pior. Devido ao fato de ainda não ser obrigatória, a etiquetagem conta com a conscientização de todos os envolvidos no processo, desde os consumidores até os construtores, passando por arquitetos e consultores. Pesquisas e trabalhos que destaquem a importância desse processo são grandes aliados para a divulgação da nova cultura. Além disso, com a constante preocupação aos danos causados ao meio ambiente, esta é a oportunidade dos profissionais da área de construção mostrarem responsabilidade, causando o menor impacto ambiental e aproveitando cada vez mais os recursos naturais a favor da eficiência energética. Neste contexto, o trabalho em questão objetiva avaliar o nível de eficiência energética na Universidade Metodista de Piracicaba, campus Santa Bárbara D'Oeste, especificamente no Bloco 1, composto basicamente por salas de aula, com o objetivo de se obter a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Parcial). A pesquisa será norteada pelo método prescritivo do Regulamento Técnico de Qualidade do Nível de Eficiência Energética de Edifícios Comerciais, de Serviços e Públicos - RTQ-C (BRASIL, 2009a, BRASIL, 2009b). A partir dos resultados, pretende-se propor intervenções nos ambientes analisados, para garantir a melhoria no nível de eficiência energética da envoltória e do sistema de iluminação.