Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação biológica do AMH nos nichos espermatogoniais de Cyprinus carpio, e uso de Danio rerio como modelo experimental para compreender a regulação molecular do AMH

Processo: 12/13594-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de julho de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros de Águas Interiores
Pesquisador responsável:Irani Quagio Grassiotto
Beneficiário:Juliana Morena Bonita Ricci
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/00423-6 - Regulação parácrina e molecular do nicho de espermatogônias tronco em zebrafish (Danio rerio) e uso da carpa comum (Cyprinus carpio) como modelo para atrasar a diferenciação espermatogonial durante a puberdade, AP.R
Assunto(s):Hormônio antimülleriano   Peixe-zebra   Espermatogênese   Carpa   Puberdade   Reprodução

Resumo

Os nichos espermatogoniais (NEs) são regiões específicas no testículo que regulam as propriedades das espermatogônias tronco (ET) de auto-renovar, diferenciar, entrar em apoptose, quiescência e pluripotência. A regulação dos NEs é essencial para a assegurar a homeostase da espermatogênese, e evitar o acúmulo de ET (seminoma) quando a auto-renovação é favorecida, ou a depleção da espermatogênese quando a diferenciação é predominante. A caracterização e a regulação dos NEs têm atraído interesse de diversas pesquisas, incluindo as com peixes teleósteos, em especial com zebrafish. Em zebrafish, o NE é formado pelas células de Sertoli que envolvem as ET, e pelos elementos intersticiais adjacentes, como células de Leydig, e vasos sangüíneos. O hormônio folículo estimulante (Fsh) e os fatores de crescimento, Amh (hormônio anti-Mülleriano) e Igf3 (fator de crescimento semelhante à insulina) têm importante papel na regulação dos NEs. Enquanto o Amh inibe a diferenciação espermatogonial e mantém as ET quiescentes, sendo negativamente regulado pelo Fsh, o Igf3, induzido pelo Fsh, promove a diferenciação e proliferação espermatogonial no sentido da meiose. Entretanto, ainda é desconhecido como o Amh e Igf3 interagem entre si e quais são as modificações gênicas induzidas por eles no NE. O projeto tem como objetivo estudar a interação (direta ou indireta) entre o Amh e Igf3, e avaliar no caso particular do Amh, a expressão gênica global, a fim de determinar os possíveis candidatos (mRNAs ou microRNAs) que estariam envolvidos no bloqueio da diferenciação espermatogonial. E por fim, aumentar a expressão de fatores de crescimento (ex. Amh) através de gene transfer (expressão transiente) para atrasar a puberdade em carpa.