Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação por EPR de defeitos em amostras policristalinas de BiMn2O5

Processo: 12/13971-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 20 de setembro de 2012
Vigência (Término): 19 de novembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Lygia Christina de Moura Walmsley
Beneficiário:Vinicius Tadeu Santana
Supervisor no Exterior: Rüdiger-A. Eichel
Instituição-sede: Instituto de Geociências e Ciências Exatas (IGCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Local de pesquisa : Karlsruhe Institute of Technology (KIT), Alemanha  
Vinculado à bolsa:10/12790-8 - Medidas de ressonância de spin eletrônico (RSE) em polianilina dopada com plastificante e de condutividade a.c. e RSE em óxidos, BP.MS
Assunto(s):Paramagnetismo   Ressonância paramagnética eletrônica

Resumo

Durante os estudos no mestrado, temos investigado as propriedades elétricas e magnéticas de perovskitas duplas através da condutividade a.c. e a estrutura de defeitos polarônicos em polianilinas dopadas através de medidas de Ressonância Paramagnética Eletrônica (RPE). Outros tipos interessantes de defeitos que podem ser estudados pela técnica de RPE são aqueles originados por vacâncias de oxigênio em óxidos. Multiferróicos formam uma classe muito interessante de materiais que combinam propriedades tanto ferroelétricas quanto magnéticas. O estudo dos defeitos e de seu mecanismo de formação bem como sua influência nas propriedades dielétricas e magnéticas de perovskitas multiferróicas, tais como RMn2O5 (R=terra rara ou Bi), é muito importante para estabelecer suas potenciais aplicações e contribuir no entendimento do comportamento ferroelétrico e antiferromagnético. Neste trabalho, estudaremos a RPE no contexto da estrutura dos defeitos de BiMn2O5 que apresentou interessantes propriedades elétricas, possivelmente relacionadas aos defeitos. Se complexos de defeitos de vacâncias de oxigênio e íons aceitadores forem formadas, podemos ter Mn2+ ou impurezas que podem ser vistas na espectroscopia de RPE. Mn4+ e Mn3+ também podem contribuir para a linha de RPE com a interação de supertroca entre eles através dos átomos de oxigênio. (AU)