Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação entre Lesão Muscular de Atletas de Elite Brasileiros e os Polimorfismos da Enzima Conversora de Angiotensina I, do Receptor B2 de Cininas e da CK-MM

Processo: 12/10743-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2012
Vigência (Término): 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:João Bosco Pesquero
Beneficiário:Sandro Soares de Almeida
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/06676-8 - Biologia celular e molecular dos sistemas calicreínas-cininas e renina-angiotensina, AP.TEM
Assunto(s):Polimorfismo genético   Músculos   Atletas   Inflamação

Resumo

Após o término do Projeto Genoma Humano e o estabelecimento da sequência completa de nosso código genético, o interesse dos biologistas tem se deslocado para a análise de variações nas sequências não-repetitivas presentes no genoma, sendo as mais comuns os polimorfismos de nucleotídeos únicos (do inglês single nucleotide polymorphism, SNPs), e também de polimorfismos de Inserção e Deleção. Como regra geral, esses polimorfismos não têm efeito na função celular, entretanto muitos deles estão altamente relacionados a doenças e à influência de drogas na resposta celular. Além disso, o estudo desses polimorfismos pode ser utilizado em vários campos da biomedicina, na farmacologia e na medicina esportiva para o estudo da aptidão física e processos inflamatórios. De acordo com a literatura recente, diversos polimorfismos de genes relacionados à força muscular, sistema cardiovascular e ao metabolismo celular afetam a expressão ou a eficiência das proteínas codificadas por esses genes, promovendo maior ou menor aptidão ao exercício e à lesão muscular. Muitas dessas variações foram mais prevalentes em praticantes de um determinado tipo de exercício físico ou até mesmo prevalentes em pessoas com maior nível de lesão ou com intolerância ao exercício. Com a finalidade de se obter uma ferramenta genética como indicativo de performance física para atletas e não atletas brasileiros, o projeto tem como objetivo a validação dos genes relacionados à performance física e à lesão muscular, por meio da genotipagem de atletas de hoje e antigamente.