Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de compostos voláteis característicos do aroma em mamões (Carica papaya cv Gold) tratados com metil-jasmonato e armazenados a baixa temperatura.

Processo: 12/12649-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2012
Vigência (Término): 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Eduardo Purgatto
Beneficiário:Deborah Oliveira de Fusco
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia pós-colheita   Amadurecimento   Aroma   Hormônios vegetais

Resumo

O Brasil destaca-se como o maior produtor mundial de mamão que é apreciado em todo o mundo pelo sabor e polpa delicada. Os compostos voláteis contribuem para a formação do aroma e sabor do fruto, o que os tornam essenciais para o desenvolvimento de características sensoriais que definem sua apreciação pelos consumidores. Os principais compostos de aroma do mamão incluem principalmente o benzilisotiocianato, terpenos, ésteres, aldeídos, álcoois, ácidos orgânicos e cetonas, com destaque para o monoterpeno linalool que é o composto mais abundante. A cadeia de frio é de suma importância para a extensão da vida de prateleira deste fruto, porém também traz prejuízos para a qualidade ao reduzir a emissão de componentes voláteis do aroma. Precedentes de literatura indicam que o tratamento pós-colheita com o metil jasmonato é capaz de reduzir possíveis efeitos prejudiciais decorrentes do armazenamento a baixa temperatura. Além disso, a aplicação do metil jasmonato em frutos é capaz de estimular a atividade de enzimas das vias de produção de compostos voláteis. Desta forma, o presente trabalho tem por objetivo avaliar os efeitos da aplicação pós-colheita do metil jasmonato (MJ) em frutos de mamão papaia (Carica papaya cv Golden), focando os compostos das vias de biossíntese de componentes voláteis do aroma, em frutos amadurecidos a temperatura de 22oC, assim como em outros armazenados a baixa temperatura seguido de transferência a 22oC para o amadurecimento. Além dos perfis de compostos voláteis, também serão avaliados os perfis de respiração, produção de etileno, síntese de açúcares solúveis e mudanças de cor da casca, a fim de caracterizar o amadurecimento. Dada a importância do linalool para o aroma característico do mamão papaia, as variações na transcrição de um gene da linalool sintase, será também avaliada, buscando correlacioná-la aos efeitos dos tratamentos na produção dos compostos voláteis. Os dados permitirão fazer as inferências relativas à dependência deste gene quanto à sinalização por etileno e jasmonatos. Outro resultado esperado, dado indicações encontradas na literatura, é que o tratamento com MJ afete a produção de compostos voláteis, de modo que estes sejam preservados após o armazenamento a baixa temperatura. Do ponto de vista da pesquisa bioquímica pós-colheita, este projeto também tem potencial para fornecer dados que contribuam para a compreensão dos mecanismos regulatórios da biossíntese do aroma em frutos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)