Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel do sistema antioxidante e influência do gênero na capacidade de desenvolvimento in vivo de embriões em diferentes modelos de diabete experimental

Processo: 11/23721-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2012
Vigência (Término): 31 de agosto de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Débora Cristina Damasceno
Beneficiário:Aline Bueno
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/16548-5 - Estudo da regulação epigenética do gene embrionário PAX3, frente ao estresse oxidativo induzido na prenhez diabética, BE.EP.DR
Assunto(s):Diabetes mellitus   Embriogênese   Estresse oxidativo   Antioxidantes   Prenhez

Resumo

Considerando que gestantes diabéticas apresentam taxas de malformações congênitas, morbimortalidade perinatal de até cinco vezes maior que gestantes não diabéticas e que, os pré-embriões de ratas diabéticas apresentam altas taxas de apoptose à medida que o nível glicêmico aumenta, nossa hipótese é que a imaturidade no sistema antioxidante de defesa nos pré-embriões contribui para o aparecimento de embriopatias e outras repercussões a curto, médio e longo prazo nos fetos expostos ao ambiente diabético. Assim, o uso de modelos animais oferece uma ferramenta importante para investigar mecanismos moleculares envolvidos no desenvolvimento embrionário. Tendo em vista que muitos estudos foram desenvolvidos em nosso laboratório para avaliar as repercussões do diabete grave e do diabete moderado no organismo materno e nos resultados perinatais, é interesse do nosso grupo de pesquisa inserir novas ferramentas metodológicas em nosso laboratório a partir de parcerias com outros pesquisadores para avançar a compreensão sobre os mecanismos fisiopatológicos envolvidos nas repercussões embriofetais, especialmente com relação ao estresse oxidativo, que está intimamente associado ao diabete. Para compreender os mecanismos pelos quais os embriões no estágio inicial do desenvolvimento apresentam a imaturidade no sistema antioxidante e as conseqüências deste quadro frente ao insulto hiperglicêmico materno, será utilizada a técnica de bipartição de mórulas, visando estabelecer um padrão exato da resposta do hemi-embrião ao estresse oxidativo exacerbado pelo diabete e a técnica de reimplantação de outro hemi-embrião para uma fêmea receptora, que permitirá avaliar o envolvimento do sistema antioxidante com relação à sua capacidade de implantação e desenvolvimento.