Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de vacinas proteicas contra Streptococcus pneumoniae: caracterização dos componentes adjuvantes da vacina celular pertussis e análise de novas combinações vacinais

Processo: 12/10593-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Maria Leonor Sarno de Oliveira
Beneficiário:Carolina Salcedo Rivillas
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Bordetella pertussis   Adjuvantes   Vacinas   Proteínas   Streptococcus pneumoniae

Resumo

Streptococcus pneumoniae (pneumococo) é responsável por doenças que causam a morte de cerca de 1 milhão de crianças menores de 5 anos a cada ano no mundo todo. Vacinas baseadas em antígenos proteicos são alternativas às vacinas comerciais disponíveis, que são compostas por polissacarídeos capsulares e que apresentam algumas desvantagens relacionadas aos custos de produção e à cobertura dos isolados patogênicos. Nosso grupo apresentou recentemente uma proposta de vacina composta pelo antígeno PspA (do inglês Pneumococcal surface protein A) utilizando a vacina celular pertussis (wP) como adjuvante. Como wP é uma vacina administrada a crianças brasileiras, a partir dos dois meses de idade, na formulação tríplice DTP (difteria, tétano e pertussis), esta proposta tem o benefício de uma composição quádrupla, aproveitando a ação adjuvante de um componente já aprovado para uso em crianças. A combinação PspA5-wP conferiu proteção em modelos animais de desafio com pneumococo. Nossos estudos também indicaram que o LPS da Bordetella pertussis não é um componente determinante da ação adjuvante observada e, portanto, outros componentes de B. pertussis devem estar agindo como adjuvantes neste modelo. No presente projeto propomos a caracterização das bases moleculares e imunomodulatórias de B. pertussis em combinação com antígenos de pneumococo em camundongos, através do uso de mutantes de B. pertussis deficientes em um ou mais componentes com conhecida propriedade imunomodulatória, além de componentes purificados. A caracterização da ação adjuvante se torna importante, a medida que novas formulações de vacinas pertussis são propostas para diferentes populações. Além disso, em alternativa à vacina pertussis, propomos também a avaliação das propriedades adjuvantes da vacina BCG em combinação com o antígeno PspA de S. pneumoniae, visando a composição de uma formulação que possa ser administrada a crianças recém-nascidas.