Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso do transposon mini-Mu para análise funcional de sequência de DNA de Xylella fastidiosa

Processo: 98/14722-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 1999
Vigência (Término): 31 de maio de 2002
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia
Pesquisador responsável:Manoel Victor Franco Lemos
Beneficiário:Laurival Antonio Vilas Bôas
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Xylella fastidiosa

Resumo

Xylella fastidiosa é o agente casual da Clorese Variegada dos Citros, Requeima do Cafeeiro e outras doenças de ocorrência em várias espécies vegetais de interesse agrícola. Habita os vasos xilemáticos de plantas suscetíveis e é transmitida por cigarrinhas sugadoras de seiva do xilema, se apresentando como uma grave ameaça à citricultura brasileira. Sua característica de crescimento lento quando em cultura, tem dificultado grandemente o seu estudo, muito pouco se sabendo sobre seu comportamento biológico. Um importante aspecto é o desconhecimento do mecanismo de patogenicidade desta bactéria frente às espécies hospedeiras, o que leva a métodos ineficientes de controle. O projeto genoma da FAPESP vem contribuir para o estudo desta bactéria, desvendando seus genes. No entanto, existe a necessidade de se estudar os genes agora descobertos, visando confirmar sua expressão e função dentro da célula, bem como verificar a função de ORFs sem homologia em outros organismos. Indo de encontro à proposta do Projeto Funcional de Estudo do Mecanismo de Patogenicidade de X. fastidiosa, este projeto vem propor a utilização do sistema denominado "transposon tagging", o qual faz uso do fago mini-Mu. Este fago possui como característica a inserção aleatória carregando um gene repórter e promovendo a desrupção de genes, o que permite estudos de expressão, isolamento e ainda a determinação de função. Neste projeto, pretende-se utilizar genes com potencial participação nos mecanismos de patogenicidade e/ou virulência da bactéria. (AU)