Busca avançada
Ano de início
Entree

Treinamento técnico do auxílio: evolução de diversidade merística e morfométrica no Autopódio de Squamata: padrões, processos e mecanismos

Processo: 12/15326-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de setembro de 2012
Vigência (Término): 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Morfologia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Tiana Kohlsdorf
Beneficiário:Gabriela Raphael Duarte
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/18868-1 - Evolução de diversidade merística e morfométrica no Autopódio de Squamata: padrões, processos e mecanismos, AP.R
Assunto(s):Morfologia animal   Squamata

Resumo

A origem evolutiva do autopódio (região distal dos apêndices pareados de Tetrapoda, composta por metatarsos/metacarpos e falanges) constitui uma das principais adaptações associadas à transição do hábito aquático para a vida em ambientes terrestres nos animais vertebrados. Apesar de sua origem única, o autopódio é uma estrutura bastante diversificada nas diversas linhagens atuais de Tetrapoda, sendo particularmente variável em alguns clados, como Squamata. A presente proposta de pesquisa objetiva identificar a variação morfológica (merística e morfométrica) do autopódio em quatro grandes linhagens de Squamata, relacionando os padrões evolutivos identificados com aspectos ecológicos (uso diferencial de habitats e microhabitats) e funcionais (desempenho em diferentes atividades de locomoção), e com possíveis alterações subjacentes em mecanismos moleculares de desenvolvimento embrionário. O desempenho locomotor de espécies com diferentes morfologias de autopódio será testado nas atividades de corrida, salto, escalada e enterramento. Quanto à inferência de alterações em mecanismos subjacentes de desenvolvimento embrionário, fragmentos de regiões regulatórias e codificantes de genes expressos durante a formação do autopódio no embrião serão sequenciados em linhagens específicas, e ferramentas de bioinformática serão utilizadas para testar possíveis associações entre as variações observadas nas sequencias de nucleotídeos e os padrões identificados de morfologia do autopódio. O projeto proposto baseia-se em uma abordagem bastante integrativa que busca estabelecer possíveis inter-relações entre padrões morfológicos, processos evolutivos e mecanismos moleculares subjacentes no cenário de evolução da diversidade fenotípica do autopódio em linhagens de Squamata. (AU)