Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da administração de cocaína nos níveis de SIRT1 e SIRT2 no núcleo accumbens de camundongos adolescentes e adultos

Processo: 12/11947-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2012
Vigência (Término): 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Rosana Camarini
Beneficiário:Gustavo Papaiordanou Elias
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cocaína   Camundongos   Adolescentes   Núcleo accumbens

Resumo

A adolescência é uma fase de transição entre a infância e a idade adulta, caracterizada por alterações comportamentais que incluem o aumento da busca por novidades, o aumento dos comportamentos de risco e o aumento do valor atribuído às interações sociais fora do ambiente familiar. Os adolescentes apresentam alterações proeminentes nos circuitos cerebrais de motivação e recompensa, o que os torna mais sensíveis que os adultos à ação de diversas drogas e mais propensos à dependência. A teoria da sensibilização do incentivo sugere que a sensibilização do sistema mesocorticolímbico cerebral por exposições repetidas às drogas de potencial abusivo leva ao padrão de uso compulsivo da droga e faz com que o indivíduo permaneça sob risco de recaída, mesmo após anos da descontinuação do uso da mesma. Mudanças na expressão gênica contribuem para a regulação de longo prazo dos circuitos de recompensa cerebral. As sirtuínas são proteínas da classe III da família das desacetilases de histonas dependentes de NAD+ e podem regular a atividade de uma série de fatores transcricionais. Um estudo recente (Renthal et al., 2009) mostrou que a atividade dessas desacetilases no núcleo accumbens pode contribuir para as neuroadaptações crônicas envolvidas na dependência à cocaína. Portanto, este trabalho tem como objetivo avaliar os efeitos da administração de cocaína em camundongos adolescentes e adultos nos níveis proteicos de sirtuínas (SIRT1 e SIRT2) no núcleo accumbens.