Busca avançada
Ano de início
Entree

Sorção de água e solubilidade de materiais resilientes temporários para base de prótese após incorporação de agentes antimicrobianos

Processo: 12/09902-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2012
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Karin Hermana Neppelenbroek
Beneficiário:Janaina Gomes Maciel
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Solubilidade   Próteses e implantes   Estomatite protética   Anti-infecciosos   Antifúngicos

Resumo

A incorporação de agentes antifúngicos/antimicrobianos em reembasadores resilientes temporários para próteses removíveis tem se mostrado viável para o tratamento da estomatite protética. Esse tratamento tem a vantagem de romper o ciclo de reinfecção da mucosa de suporte via prótese ao eliminar o contato do biofilme protético com os tecidos infectados, atuando sobre os mesmos por meio dos fármacos incorporados, que são liberadas gradativamente ao longo da vida útil desses materiais. Estudos demonstraram que, em até 14 dias, os antifúngicos nistatina e cetoconazol e o antimicrobiano diacetato de clorexidina incorporados a reembasadores temporários (Trusoft e Softone) foram os fármacos que apresentaram as mínimas concentrações inibitórias (MCIs) para biofilme de C. albicans. Além disso, foi observado que a adição desses fármacos não resultou em efeitos deletérios sobre a dureza Shore A, a rugosidade superficial e a resistência à tração desses materiais. Apesar desses resultados favoráveis, falta informação sobre os efeitos da adição dos fármacos em suas MCIs sobre outras propriedades dos reembasadores de curta duração. O presente projeto irá avaliar o efeito da adição de MCIs de agentes antimicrobianos para o tratamento da estomatite protética na sorção de água e solubilidade de materiais resilientes temporários. Para o cálculo das porcentagens de sorção e solubilidade, os corpos de prova (50 mm X 0,5 mm) serão dessecados, imersos em água pelos períodos avaliados (24 h, 7 e 14 dias), pesados, dissecados e pesados novamente. Os resultados dos grupos experimentais serão comparados com os controles e os dados obtidos analisados estatisticamente (±=5%).