Busca avançada
Ano de início
Entree

Aprimoramento das técnicas observacionais e de calibração do Telescópio Solar para Ondas Submilimétricas (SST)

Processo: 12/11619-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Astronomia do Sistema Solar
Pesquisador responsável:Carlos Guillermo Giménez de Castro
Beneficiário:Jorge Fernando Valle Silva
Instituição-sede: Escola de Engenharia (EE). Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM). Instituto Presbiteriano Mackenzie. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:06/06847-1 - Emissões da atividade solar do submilimétrico ao infravermelho (SIRA), AP.TEM
Assunto(s):Radioastronomia   Astrofísica solar   Atividade solar   Erupção solar   Ondas milimétricas   Ondas submilimétricas   Complejo Astronómico El Leoncito (CASLEO)

Resumo

O estudo da componente espectral da emissão explosiva solar, no intervalo sub-Terahertz (>100 GHz) das explosões solares abre novas perspectivas na descrição da dinâmica da baixa atmosfera solar e dos processos de aceleração de partículas de alta energia no plasma solar. Desde o ano 1999, eventos solares são observadas em duas altas frequências, 212 e 405 GHz, com o Telescópio Solar para Ondas Submilimétricas (SST) localizado no Complejo Astronómico El Leoncito (CASLEO), em San Juán, Argentina. Nesse contexto, o presente projeto visa (i) descrever o espectro rádio na grande faixa de frequências: 1-400 GHz para determinar quais são os mecanismos responsáveis dos espectros da emissão sub-Terahertz. Para conseguir esse objetivo primário, é necessário (ii) revisar os procedimentos padrões de calibração das observações realizadas com o SST e aprimorar o cálculo da opacidade atmosférica em 212 e 405 GHz, o que traz consequências na estimativa dos fluxos de emissão. Também é necessário (iii) aprimorar as técnicas de observação multi-feixe e do modelo de apontamento do SST para modelar as variações introduzidas nos registros devidas à rotação relativa do disco solar em relação aos feixes do telescópio. Finalmente, com a implementação dos novos processos de redução de dados, (iv) fazer uma revisão sistemática dos registros antigos da emissão solar durante a ocorrência de eventos explosivos menores onde a emissão sub-Terahertz poderia ter ficado ocultadapelas variações de origem não solar e que poderiam revelar a natureza dos processos de aceleração de partículas de alta energia que são difíceis de estudar nos flares de baixo brilho no visível e H±.