Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de uma estratégia para inibição de células t regulatórias, baseada no bloqueio da quimiotaxia mediada por RNA de interferência, com alvo de potencializar terapia antitumoral

Processo: 12/11480-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Marcio Chaim Bajgelman
Beneficiário:Thaís Hudari Abib
Instituição-sede: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Terapia genética   Retroviridae   Linfócitos T reguladores   Imunoterapia   Interferência de RNA   Neoplasias

Resumo

As células T regulatórias (Treg) apresentam a propriedade única de inibir a proliferação de linfócitos T e desempenham um importante papel relacionado à tolerância imunológica. A análise de amostras clínicas isoladas de sítios tumorais revela infiltração de células Treg, sendo que a progressão tumoral está correlacionada ao infiltrado. A migração de células T regulatórias para sítios tumorais é mediada por quimiocinas secretadas pelo tumor ou células do sistema imune na região tumoral, em interação com receptores de Treg, como CCR4. Trabalhos recentemente publicados demonstram que é possível inibir o tráfego de Tregs utilizando-se anticorpos dirigidos à quimiocina CCL22, que é ligante de CCR4, favorecendo o tratamento do câncer.Nosso objetivo consiste em verificar a possibilidade de utilizar um sistema baseado em veiculação de RNA de interferência para silenciar genes associados à expressão de receptores de quimiocinas em Tregs, e à expressão das respectivas quimiocinas em células tumorais, com alvo de inibir o tráfego de Treg para o sítio tumoral, favorecendo-se a detecção e eliminação de tumores pelo sistema imune. Planejamos testar o silenciamento de alvos moleculares ligados à quimiotaxia de Tregs, incluindo receptores de Tregs e ligantes em células tumorais, individualmente, ou de forma combinada, verificando-se a melhor estratégia para inibir o tráfego de Tregs para o sítio tumoral.O sucesso deste projeto possibilitará o desenvolvimento de estratégias para inibição de Tregs in vivo, com alvo de potencializar a resposta imune antitumoral que poderá atuar em sinergia a terapias de câncer.