Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise das mutações do gene Kras2 e sequenciamento de nova geração em regiões cromossômicas candidatas associadas com a suscetibilidade/resistência à resposta inflamatória

Processo: 12/11345-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 21 de dezembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunogenética
Pesquisador responsável:Andrea Borrego
Beneficiário:Andrea Borrego
Anfitrião: Tommaso Antonio Dragani
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Istituto Nazionale per lo Studio e la Cura dei Tumori, Itália  
Assunto(s):Mutação   Resposta inflamatória   Análise de sequência de DNA   Oncogenes

Resumo

Camundongos AIRmax (alta resposta) e AIRmin (baixa resposta) produzidos por seleção genética bidirecional com base na intensidade da resposta inflamatória aguda (AIR) divergem de maneira significativa para outros fenótipos tais como a suscetibilidade ao desenvolvimento de tumores. Os animais AIRmax são muito resistentes e os AIRmin são muito suscetíveis a protocolos de indução química de tumores na pele e nos pulmões, indicando que ocorre uma regulação genética comum compartilhada entre os fenótipos de reatividade inflamatória aguda e da predisposição à carcinogênese. Os animais AIRmax e AIRmin segregaram, respectivamente, os haplótipos de resistência e susceptibilidade no locus Pas1, principal fator genético de susceptibilidade à tumorigênse pulmonar no camundongo, o que pode ainda indicar o envolvimento desta região (que contém o oncogene Kras2), também na regulação da resposta inflamatória aguda. Nossa proposta consiste em identificar através da técnica de pirosequenciamento as mutações ativadoras do gene Kras2, bem como os níveis de expressão gênica das isoformas Kras4A e Kras4B por qPCR em tumores pulmonares de camundongos provenientes de população F2 (AIRmax x AIRmin), resultante do intercruzamento das duas linhagens. Os dados serão então usados como fenótipos em estudos de associação em larga escala (GWA para genome wide association) com marcadores de polimorfismo de sequência única SNPs para a identificação de elementos genéticos que regulem a mutabilidade e expressão do oncogene. (AU)