Busca avançada
Ano de início
Entree

Revisão taxonômica da tribo Dipsadini (Serpentes: Dipsadidae, Dipsadinae)

Processo: 12/11997-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 30 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Hussam El Dine Zaher
Beneficiário:Paola María Sánchez Martínez
Instituição-sede: Museu de Zoologia (MZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/50206-9 - Origem e evolução das serpentes e a sua diversificação na região neotropical: uma abordagem multidisciplinar, AP.BTA.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):15/09054-1 - Revisão taxonômica da tribo Dipsadini e avaliação da informação disponível para esta tribo no GBIF, BE.EP.DR
Assunto(s):Dipsadidae   Morfologia animal   Zoologia (classificação)   Serpentes

Resumo

A tribo Dipsadini de colubrídeos dipsadíneos é constituída pelos gêneros Dipsas, Plesiodipsas, Sibon, Sibynomorphus e Tropidodipsas, com 66 espécies válidas de serpentes neotropicais, que se distribuem desde o México até o norte da Argentina. Os gêneros da tribo apresentam uma extensa variação nos padrões de coloração e na folidose, caracteres que são a base da sistemática do grupo. Embora tenham sido publicados estudos taxonômicos recentes sobre algumas espécies e grupos de espécies dentro dos gêneros reconhecidos, a taxonomia da tribo Dipsadini permanece instável. Isto se deve, em grande parte, à grande variabilidade encontrada na maioria dos caracteres morfológicos empregados na taxonomia do grupo, dificultando assim a delimitação clara dos gêneros e das suas espécies. Diante destas limitações, torna-se imprescindível uma revisão abrangente que inclua exemplares disponíveis de todas as espécies reconhecidas nos cinco gêneros pertencentes à tribo, permitindo a construção de uma visão global do grupo. Neste sentido, objetiva-se realizar a revisão taxonômica do grupo, através da análise da variação morfológica e geográfica apresentada pelas espécies descritas dos gêneros Dipsas, Plesiodipsas, Sibon, Sibynomorphus e Tropidodipsas. O projeto tenciona também delimitar morfologicamente os cinco gêneros em questão. Para isto, serão analisados caracteres de folidose, proporção do corpo, padrão de coloração e morfologia craniana e hemipeniana de todos os táxons disponíveis. Adicionalmente, se espera gerar informação útil no desenvolvimento de trabalhos posteriores, que objetivem testar a tribo como uma unidade monofilética, definir seus grupos naturais e esclarecer sua posição dentro da subfamília Dipsadinae. (AU)