Busca avançada
Ano de início
Entree

Consumo de carnes, frutas, verduras e legumes, relação com marcadores de estresse oxidativo e risco de doenças crônicas: estudo ISA - capital

Processo: 12/17187-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de setembro de 2012
Vigência (Término): 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Dirce Maria Lobo Marchioni
Beneficiário:Mariana Dantas da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/08702-1 - Consumo de carnes, frutas, verduras e legumes, relação com marcadores de estresse oxidativo e risco de doenças crônicas: estudo ISA - capital, AP.R
Assunto(s):Adutos de DNA   Carnes e derivados   Estresse oxidativo   Polimorfismo genético

Resumo

O alto consumo de carne, principalmente vermelha e processada, e o baixo consumo de frutas, verduras e legumes tem sido relacionados com aumento de risco para câncer e doenças cardiovasculares. Uma das explicações para o consumo de carne estar associado a essas doenças são os métodos de preparo culinário, que acarretam na formação de aminas heterocíclicas, que dentro do nosso organismo, ao serem metabolizadas, podem gerar substâncias reativas capazes de danificar o DNA. Já as frutas, verduras e legumes possuem antioxidantes que reduzem o estresse oxidativo. Porém, o teor de metabólitos gerados pode variar de acordo com os fatores genéticos individuais. Assim, o objetivo deste estudo é investigar a relação entre o consumo de carnes, aminas heterocíclicas, frutas, verduras e legumes com marcadores do estresse oxidativo, mediados por fatores genéticos, sociais, demográficos e de estilo de vida, em residentes do Município de São Paulo - participantes do Inquérito de Saúde ISA - Capital. Trata-se de estudo transversal, de base populacional com amostra probabilística do município de São Paulo. Os dados de ingestão alimentar serão analisados a partir de recordatórios alimentares de 24 horas e questionário de frequência alimentar. A extração do DNA ocorrerá pelo método por sal, com o auxílio do espectrofotômetro para quantificação. A genotipagem dos polimorfismos será realizada utilizando a técnica PCR-alelo específico. Para avaliar o estresse oxidativo serão analisados o malondialdeído e os adutos de DNA. A análise estatística será por Modelos Lineares Generalizados no STATA®. Em todas as análises estatísticas, será considerado o nível de significância 5%. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.