Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da heme oxigenase-1 e de seu subproduto biliverdina sobre os mecanismos de estresse do retículo endoplasmático na lesão de isquemia e reperfusão renal

Processo: 11/19581-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2012
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Niels Olsen Saraiva Câmara
Beneficiário:Matheus Corrêa Costa
Supervisor no Exterior: Leo Edmond Otterbein
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Harvard University, Boston, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:09/54474-8 - Mecanismos celulares de resposta ao estresse em modelos experimentais de insultos renais, BP.DR
Assunto(s):Heme oxigenase-1   Lesão renal aguda

Resumo

A lesão renal aguda continua sendo um fator de risco independente para mortalidade e morbidade, aumentando o risco de morte em pacientes hospitalizados e em unidade de terapia intensiva. Nesse contexto já está bem estabelecido que a inflamação desempenha um papel importante na patofisiologia da doença. Uma das organelas que primeiramente sofre esse estresse celular é o retículo endoplasmático (RE), levando a um empacotamento alterado de proteínas. O acúmulo de proteínas mal empacotadas gera uma resposta do RE, que primariamente tende a retornar sua homeostase, podendo levar à produção de fatores inflamatórios e mesmo à apoptose da célula, caso o estímulo seja muito forte. Simultaneamente ao processo de agressão tecidual, nos últimos anos tem ficado claro que o órgão acometido é também capaz de montar várias respostas citoprotetoras, ou seja, uma resposta com intuito de limitar os danos. Dentre as várias respostas citoprotetoras, destacam-se a indução da expressão da heme oxigenase-1 (HO-1). O aumento da expressão da HO-1 promove a formação de produtos anti-oxidantes, anti-apoptóticos e imunomoduladores. Assim, a busca por maior entendimento desses mecanismos de resposta ao estresse celular nas lesões renais é de grande importância, pois além de fornecer mais informações sobre processos ainda não muito claros, permite que, ao se modular algum (ns) componente (s) dessas vias, sejam desenvolvidos novos alvos terapêuticos que possam restaurar a homeostase celular, diminuindo os danos agudos e as conseqüências a longo termo. Assim, pretendemos estudar o papel da HO-1 e da biliverdina na modulação do estresse do retículo endoplasmático na lesão renal aguda, utilizando o modelo de isquemia e reperfusão. para tal, usaremos animais nocautes condicionados para HO-1 e biliverdina redutase. Nossa hipótese é de que a falta dessas moléculas aumenta o processo de estresse do retículo endoplasmático, promovendo maior inflamação. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CORREA-COSTA, MATHEUS; GALLO, DAVID; CSIZMADIA, EVA; GOMPERTS, EDWARD; LIEBERUM, JUDITH-LISA; HAUSER, CARL J.; JI, XINGYUE; WANG, BINGHE; SARAIVA CAMARA, NIELS OLSEN; ROBSON, SIMON C.; OTTERBEIN, LEO E. Carbon monoxide protects the kidney through the central circadian clock and CD39. PROCEEDINGS OF THE NATIONAL ACADEMY OF SCIENCES OF THE UNITED STATES OF AMERICA, v. 115, n. 10, p. E2302-E2310, MAR 6 2018. Citações Web of Science: 8.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.