Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da frequência de lambidas de água e de NaCl 1,8% em ratos tratados com noradrenalina no NPBL

Processo: 11/22604-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:José Vanderlei Menani
Beneficiário:Silvia Gasparini
Supervisor no Exterior: Derek Daniels
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa: University at Buffalo (UB), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:10/09607-7 - Mecanismos adrenérgicos do núcleo parabraquial lateral no controle cardiovascular e do equilíbrio hidroeletrolítico, BP.DR

Resumo

Recentes estudos de nosso laboratório mostraram que a ativação de receptores adrenérgicos a2 com injeções bilaterais de moxonidina (agonista adrenérgico a2/imidazólico) ou noradrenalina no núcleo parabraquial lateral (NPBL) produz um grande aumento da ingestão de NaCl 1,8% induzida pelo tratamento com o diurético furosemida (FURO) combinado com doses baixas do inibidor da enzima conversora de angiotensina captopril (CAP) subcutaneamente (sc). Por outro lado, noradrenalina produz uma resposta pressora quando injetada no NPBL. Injeções periféricas de prazosin são capazes de abolir a resposta pressora e levaram a um aumento da ingestão de sódio e água produzida pela noradrenalina injetada no NPBL em animais tratados com FURO + CAP. Esses dados sugerem que a ativação de receptores adrenérgicos ±2 do NPBL pela noradrenalina desativa alguns mecanismos inibitórios da ingestão de água e sódio, porém não aqueles relacionados aos receptores cardiovasculares que detectam aumento da pressão arterial. Seria interessante verificar a influência da injeção de noradrenalina no NPBL e do seu efeito pressor nos fatores inibitórios para a ingestão de NaCl 1,8% utilizando para isso um contador de frequência de lambidas. Para esses estudos serão utilizados ratos com cânulas de aço inoxidável implantadas bilateralmente no NPBL e as injeções nessa área, num volume de 0,2 ml, serão feitas utilizando-se seringa de Hamilton de 5 ml. A ingestão de água e NaCl 1,8% induzida pelo tratamento com FURO + CAP sc. A análise da frequência de lambidas será feita utilizando um contador de lambidas. O teste terá início a partir da primeira lambida. (AU)