Busca avançada
Ano de início
Entree

MicroRNAs: seu papel na gênese e na progressão do melanoma humano

Processo: 11/22832-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2012
Vigência (Término): 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Miriam Galvonas Jasiulionis
Beneficiário:Adriana Taveira da Cruz
Supervisor no Exterior: Victor Alexander Tron
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Queen's University, Canadá  
Vinculado à bolsa:10/18484-6 - Identificação de miRNAs envolvidos com a gênese do melanoma e a possível regulação epigenética de sua expressão, BP.DR
Assunto(s):Melanoma

Resumo

RNAs não codificantes são moléculas de RNA que tem função estrutural, enzimática e reguladora. Entre estas com atividade reguladora estão os miRNAs, que correspondem a RNAs muito pequenos, constituídos por aproximadamente 22 nucleotídeos. Os miRNAs são capazes de se ligar aos RNA mensageiros (mRNA) alvos e impedir sua tradução. Estima-se que mais de 60% dos mRNAs são regulados pelos miRNAs e por isso estas moléculas são consideradas fundamentais no controle de diversos processos biológicos, tais como, apoptose, resposta ao estresse e proliferação celular. O aumento ou diminuição da expressão dos miRNAs contribui com a quebra da homeostase celular e favorece o desenvolvimento de diversas patologias, incluindo o câncer. Alguns miRNAs apresentam função de oncogenes e outros de supressores tumorais. miRNAs oncogênicos são capazes de promover o crescimento tumoral ao regular negativamente o nível de proteínas supressoras tumorais, enquanto miRNAs que são regulados negativamente em tumores, incapazes de inibir a expressão de seus alvos com função oncogênica, são classificados como supressores tumorais. Pouco se sabe sobre os mecanismos relacionados com o controle dos miRNAs e o entendimento dos eventos que levam a alterações de sua expressão pode fornecer novas perspectivas para o tratamento do câncer. Objetivo. Assim, este trabalho objetiva identificar miRNAs alterados ao longo da transformação maligna de melanócitos e na progressão do melanoma humano, determinar as vias celulares que estão sob o controle destes miRNAs. Identificar miRNAs que possam estar relacionados com resposta a tratamento, que possam ser utilizados como marcadores das diferentes fases da progressão do melanoma, ou ainda que possam servir de alvo para novas estratégias terapêuticas. (AU)