Busca avançada
Ano de início
Entree

Soil carbon stocks and emissions Greenhouse Gases emission in SOUTWESTERN Brazilian cattle: bases for calculating the meat "carbon footprint"

Processo: 12/04780-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2013
Vigência (Término): 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Ciência do Solo
Pesquisador responsável:Brigitte Josefine Feigl
Beneficiário:André Mancebo Mazzetto
Supervisor no Exterior: Jan Willem van Groenigen
Instituição-sede: Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : Wageningen University, Holanda  
Vinculado à bolsa:11/00554-0 - Estoques de carbono do solo e emissões de gases de efeito estufa na pecuária extensiva no Sudoeste da Amazônia: bases para o cálculo do "carbon footprint" da carne, BP.DR
Assunto(s):Gases do efeito estufa   Pecuária

Resumo

A emissão de gases do efeito estufa (GEE) é atualmente um assunto intensamente debatido. Países com metas de redução na emissão destes gases têm desenvolvido estudos visando entender os processos e mitigar as taxas de emissão. A mudança do uso da terra e a agropecuária fazem do Brasil um dos principais países emissores de GEE, chegando a 5ª posição no ranking mundial. Entre os principais produtos da agropecuária brasileira está o gado de corte, manejado principalmente no sistema extensivo. A quantificação e o monitoramento das emissões de GEE em sistemas agropecuários possibilitam a avaliação do grau de impacto deste sobre o ambiente. Esta proposta tem por objetivo determinar o "carbon footprint" ou avaliação total dos processos de emissão de GEE causados pela produção da carne. Os experimentos serão realizados na fazenda Agropecuária Nova Vida, na região sudoeste da Amazônia (Rondônia). Serão determinados os fatores de emissão para dejetos bovinos (fezes e urina), fertilizante e calcário no sistema extensivo de produção de carne. Para determinar a emissão bruta será também calculado o estoque de C nas pastagens, subtraindo deste total as emissões líquidas provenientes do solo. Estes resultados, terão como resultado final o "carbon footprint" da parte agrícola da produção da carne. Por meio de modelagem matemática os dados serão extrapolados para diferentes cenários de produção de carne, buscando opções que apresentem menor emissão. Para isso, modelos já utilizados em clima temperado serão parametrizados para as condições brasileiras. O resultado final servirá como base para cálculo dos fatores de emissão dos principais GEE (CO2, N2O e CH4) no sistema pastagem, além de indicar os possíveis aspectos podem agir na mitigação dos GEE provenientes da pecuária extensiva. (AU)