Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da interação de nanopartículas magnéticas com células cancerígenas para aplicação em nanomedicina

Processo: 12/06394-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 04 de julho de 2012
Vigência (Término): 03 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física da Matéria Condensada
Pesquisador responsável:Valtencir Zucolotto
Beneficiário:Thiers Massami Uehara
Supervisor no Exterior: Ki-Bum Lee
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Rutgers The State University of New Jersey, New Brunswick, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:10/00486-2 - Estudo da interação de nanotubos e nanopartículas com modelos de membranas celulares e aplicações, BP.DR
Assunto(s):Materiais nanoestruturados   Células tumorais   Nanopartículas magnéticas

Resumo

O desenvolvimento da nanociência e da nanotecnologia nos últimos anos promoveu uma nova fronteira no estudo da matéria, permitindo que compostos já conhecidos tenham suas propriedades redescobertas ao serem manipulados em nível molecular. Desta forma, há materiais que vêm apresentando uma elevada relevância, como as nanopartículas metálicas (NPs), uma vez que são dotadas de propriedades mecânicas e térmicas que as tornam apropriadas para o desenvolvimento e aplicação em dispositivos, especialmente na área biotecnológica, sensores e atuadores magnéticos. Diversas áreas se beneficiam com o uso desta tecnologia, por exemplo, a área médica. Uma possível perspectiva ao utilizar estes nanocompósitos é na manufatura de novos materiais inteligentes para aplicações em nanomedicina. Devido à esta grande potencialidade de utilização de nanocompósitos em sistemas biológicos, torna-se muito interessante investigar como estes materiais interagem no nível molecular com células humanas, especialmente com células cancerígenas. A investigação e o controle do comportamento de células como adesão, proliferação e mobilidade são questões fundamentais para investigar de forma interdisciplinar (biologia celular, física, química e engenharia de materiais) o uso desses nanomateriais em nanomedicina. O comportamento celular é regulado pelas interações dinâmicas em níveis da ordem de nanômetros, com múltiplos microambientes, como: solubilidade e as interações entre as células. Atualmente há trabalhos que envolvem o entendimento com microambientes de interações celulares na interface de materiais nanobiológicos que estão altamente limitados e não foram completamente explorados. Nanoestruturas podem interagir com sistemas celulares em nível molecular com elevada seletividade e sensitividade. Um dos maiores obstáculos em estudar as funções dos microambientes no comportamento das células é a interface entre biomoléculas e células. Este projeto tem como objetivo desenvolver métodos sobre atuações nanomagnéticas em matrizes (escala nanométrica) com células cancerígenas, para ser aplicado como agentes terapêuticos em oncologia. (AU)