Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo bioquímico de plantas de milho tratadas com herbicidas e das relações com o desenvolvimento e controle biológico de Spodoptera frugiperda (Lepidoptera: Noctuidae)

Processo: 12/00491-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Fernando Broetto
Beneficiário:Mário Henrique Ferreira Do Amaral Dal Pogetto
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Atividade enzimática   Manejo integrado de pragas   Controle biológico

Resumo

Herbicidas químicos podem causar alterações fisiológicas nas plantas cultivadas, influenciando de forma qualitativa e quantitativa o valor nutricional das plantas e a produção de compostos de defesa. Dessa forma, podem interferir na dinâmica populacional, tanto dos insetos-praga como dos inimigos naturais, afetando, inclusive, o controle biológico natural. Nesse sentido, lagartas neonatas de Spodoptera frugiperda serão criadas em folhas de milho tratadas com os herbicidas atrazina e nicossulfuron, e avaliadas quanto ao desenvolvimento, tanto da fase jovem quanto reprodutiva. Pupas de S. frugiperda cujas lagartas se alimentaram de plantas tratadas com herbicidas serão expostas ao parasitóide de pupas Trichospilus diatraeae em laboratório para avaliação da influência dos herbicidas no desenvolvimento e taxa de parasitismo do inseto. Em campo, plantas de milho serão tratadas com os mesmos herbicidas para a avaliação da flutuação populacional de S. frugiperda e de seus inimigos naturais. Em todos os ensaios (laboratório e campo) serão coletadas folhas de milho para determinação dos teores de proteínas, açucares solúveis, lipídios e fenóis totais, além da atividade das enzimas fenilalanina amônia-liase, catalase e superóxido dismutase. Eventuais alterações bioquímicas nas plantas de milho, no desenvolvimento e dinâmica populacional de S. frugiperda, ou no parasitismo, tanto em laboratório quanto em campo poderão ser correlacionados. Espera-se que as alterações, tanto nos teores nutricionais quanto dos compostos secundários das plantas, possam explicar ou indicar quais mecanismos estejam envolvidos nesta relação ou quais deles devam ser estudados mais aprofundadamente.