Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do potencial terapêutico dos fatores solúveis liberados por células-tronco mesenquimais para Distrofias Musculares Progressivas

Processo: 12/50199-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Mayana Zatz
Beneficiário:Mariane Secco
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Distrofias musculares   Células-tronco mesenquimais   Cordão umbilical

Resumo

As Distrofias Musculares Progressivas (PMDs; do inglês Progressive Muscular Dystrophies) constituem um grupo de doenças genéticas caracterizadas por uma degeneração progressiva e irreversível da musculatura esquelética. Dentre as novas estratégias terapêuticas atualmente em consideração para as PMDs, o uso de células-tronco mesenquimais (MSCs; do inglês Mesenchymal Stem Cells) tem se mostrado promissor. Contudo, as variáveis responsáveis pelo sucesso do transplante de MSCs ainda não foram estabelecidas e os resultados obtidos são controversos. A primeira hipótese estudada para justificar os efeitos benéficos da terapia celular é a diferenciação miogênica das células injetadas e, consequentemente, a restauração da expressão da proteína ausente no músculo distrófico. Outra hipótese cogitada para explicar os efeitos terapêuticos das MSCs em modelos experimentais é o efeito indireto como resultado da secreção de citocinas e fatores de crescimento, com ação anti-apoptótica, anti-fibrogênica e anti-inflamatória, que contribuem para aliviar os sintomas e sinais clínicos do músculo distrófico. Com base nessas premissas, este projeto visa elucidar se os fatores solúveis liberados pelas MSCs podem favorecer a melhora funcional do músculo. Para tal, será realizada a administração sistêmica do meio condicionado de MSCs em modelos animais de distrofias musculares. Visto que o entendimento do mecanismo de ação envolvido nos efeitos terapêuticos promovidos pelas MSCs é fundamental para otimizar os benefícios clínicos da terapia celular, os resultados obtidos aqui serão de extrema importância e podem representar um passo importante para o início dos testes clínicos em pacientes. (AU)