Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do quinto sinal vital pela enfermagem na perspectiva de enfoque interdisciplinar

Processo: 11/21043-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Médico-cirúrgica
Pesquisador responsável:Fatima Aparecida Emm Faleiros Sousa
Beneficiário:Rodrigo Ramon Falconi Gomez
Instituição-sede: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Medição da dor   Estudos interdisciplinares

Resumo

Descrita como quinto sinal vital, a dor é considerada problema de saúde pública, devendo ser avaliada em seus aspectos subjetivos por uma equipe interdisciplinar. Em crianças e adolescentes, essa avaliação ainda é pouco explorada quando comparada as produções científicas sobre a dor em adultos. Este estudo pretende avaliar a percepção de dor (5º sinal vital) na experiência de câncer infanto-juvenil por meio de auto-relato e da Escala Multidimensional de Avaliação de Dor (EMADOR) de Faleiros Sousa. Participarão crianças e adolescentes de 5 a 18 anos de idade, que estejam em tratamento oncológico, de ambos os sexos e suas mães. Serão excluídos aqueles com problemas de compreensão e de comunicação. A análise dos auto-relatos será realizada com base na leitura compreensiva de Martins e Bicudo (1994). A análise do EMADOR será efetivada por meio da psicofísica a partir do cálculo da Média Aritmética (MA) e do Desvio Padrão (DP) em cada um dos 50 descritores de dor (aguda/crônica). Após o cálculo, serão analisados os descritores de maior e de menor atribuição percebida na dor aguda ou crônica pelos participantes, em seguida, serão organizados em forma descritiva e em tabelas e/ou gráficos. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do Hospital das Clínicas e da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. O presente trabalho pretende fornecer dados fidedignos sobre aspectos multidimensionais da dor oncopediátrica, por meio de um instrumento inovador. Este poderá ampliar os conhecimentos da enfermagem e dos outros profissionais de saúde para um manejo álgico interdisciplinar mais coerente com a necessidade real do sujeito da pesquisa e, consequentemente, a possibilidade de trazer benefícios econômicos ao governo brasileiro, em relação à área da dor oncopediátrica.