Busca avançada
Ano de início
Entree

Quantificação do volume de reserva expiratório durante a realização da técnica de expiração lenta e total com a glote aberta (ELTGOL)

Processo: 12/12020-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 30 de setembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Fernanda de Cordoba Lanza
Beneficiário:Cintia Santos Alves
Instituição-sede: Universidade Nove de Julho (UNINOVE). Campus Memorial. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Terapia respiratória   Fisioterapia respiratória   Espirometria

Resumo

Diversos autores têm descrito os benefícios da técnica de expiração lenta total com a glote aberta (ELTGOL) para pacientes com doença pulmonar crônica, e o principal desfecho desses estudos tem sido a quantidade de secreção eliminada bem como as características reológicas do muco. Entretanto, embora a técnica tenha sido descrita e estudada há mais de 20 anos, algumas constatações ainda estão por ser esclarecidas, como a quantidade de volume que pode ser mobilizada por essa técnica. Objetivos: avaliar e quantificar as alterações do volume de reserva expiratório (VRE) em pacientes com doença pulmonar crônica durante a aplicação da técnica de ELTGOL. Método: Será realizado um estudo transversal, com amostra não probabilística de pacientes encaminhados ao ambulatório integrado da saúde da Universidade Nove de Julho. Critérios de inclusão: pacientes com doença pulmonar crônica (DPOC, asma, bronquiectasia, fibrose cística) entre 30 e 75 anos, que sejam capazes de realizar a técnica ELTGOL e a espirometria. Serão excluídos: pacientes com instabilidade torácica constatada na avaliação física, diagnóstico médico de osteoporose. Será realizada a espirometria para determinar o grau de obstrução pela técnica de capacidade vital forçada. Também será feira a capacidade vital lenta para determinar a capacidade inspiratória (CI) e o volume de reserva expiratório (VRE). Essa manobra será realizada durante a execução da técnica de ELTGOL para determinar a variação do VRE e CI na aplicação da mesma. Para determinação do valor previsto da espirometria o paciente será pesado e medido na balança marca Welmy com variação de 0 a 140Kg e com régua de estatura de 1,0 a 2,0m. A técnica de ELTGOL será realizada com o paciente em decúbito lateral de acordo com recomendações. O paciente será posicionado em decúbito lateral direito, e solicitado que inicie a expiração de maneira tranqüila, através de um bocal a partir do volume corrente, e que faça o prolongamento dessa fase até exalar todo ar dos pulmões. Nesse momento será mensurado o volume exalado. O fisioterapeuta estará posicionado atrás do paciente e auxiliará a expiração promovendo a compressão no tórax e no abdômen. A técnica de ELTGOL será aplicada em três expirações consecutivas por um fisioterapeuta devidamente treinado para tanto. Análise estatística: Levando em consideração a variação de 20% no volume de reserva expiratório, constatado em estudo similar em técnica com os mesmos princípios da ELTGOL, determinando poder de 90% e erro a 0,05 serão necessário 18 indivíduos para cada grupo. Considerando perda de 15% na seleção dos pacientes serão necessários 21 pacientes para cada grupo. Espera-se com esse estudo determinar a variação de volume pulmonar durante a aplicação da ELTGOL.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LANZA, FERNANDA C.; ALVES, CINTIA SANTOS; DOS SANTOS, ROBERTA LOURES; DE CAMARGO, ANDERSON ALVES; DAL CORSO, SIMONE. Expiratory Reserve Volume During Slow Expiration With Glottis Opened in Infra lateral Decubitus Position (ELTGOL) in Chronic Pulmonary Disease: Technique Description and Reproducibility. Respiratory Care, v. 60, n. 3, p. 406-411, MAR 2015. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.