Busca avançada
Ano de início
Entree

Clonagem, expressão e estudos estruturais do domínio GTPase de septinas de Schistosoma mansoni

Processo: 12/12113-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Biofísica Molecular
Pesquisador responsável:Ricardo de Marco
Beneficiário:Yuri Volpato Santos
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Septinas   Expressão heteróloga   Schistosoma mansoni   Cristalografia de proteínas

Resumo

Septinas são proteínas pertencentes à família das GTPases , o que significa que compartilham como estrutura básica um domínio GTPase responsável pela ligação e hidrólise de GTP. Estas proteínas estão envolvidas em uma variedade de funções celulares, principalmente relacionadas ao processo de divisão celular. Septinas já foram descritas em uma variedade de organismos, sendo que seu número em cada organismo varia de 1 ( em alguns tipos de algas) à 13 (em Homo Sapiens), sendo frequentemente associadas na forma de hetero-oligômeros. Através de análises bioinformáticas pudemos verificar que Schistosoma mansoni , um dos principais agentes etiológicos da esquistossomose, possui quatro genes que codificam septinas, os quais denominados Smspt 5, Smspt10, Smspt7.1 e Smspt7.2 devido à similaridade com as septinas humanas 5, 10 e 7, respectivamente. Em um projeto anterior foram feitas construções contendo apenas o domínio GTPase de dois destes genes, Smspt 5 e Smspt10 . As proteínas expressas por estes domínios foram purificadas, caracterizadas biofisicamente e tiveram suas estruturas resolvidas por difração de raios-X. O presente projeto visa a realização dos mesmos experimentos para os domínios GTPase dos dois genes restantes de septinas de Schistosoma mansoni , Smspt7.1G e Smspt7.2G. Estas proteínas serão purificadas a partir do lisado bacteriano por cromatografia de afinidade seguida de cromatografia de exclusão molecular. Será feita uma análise de seu estado oligomérico em solução tampão e sua atividade GTPásica será avaliada por meio do método de cromatografia de troca iônica. Utilizando a técnica de dicroísmo circular serão feitos estudos estruturais para se ter uma idéia de como se encontram estas proteínas em termos de enovelamento em estrutura secundária. Por fim será realizado um screening de condições de cristalização para encontrar uma condição mais propícia ao crescimento de cristais.