Busca avançada
Ano de início
Entree

A autoridade como possibilidade de enlaçamento entre a fundação e a transmissão

Processo: 12/13541-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 30 de novembro de 2015
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Paulo Cesar Endo
Beneficiário:Gabriela Gomes Costardi
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/21333-8 - Novos começos na vida política e subjetiva - uma aproximação entre Jaques Lacan e Hannah Arendt, BE.EP.DR
Assunto(s):Autoridade   Ideologia política   Psicanálise

Resumo

Esta pesquisa propõe um diálogo entre a psicanálise de Sigmund Freud e Jacques Lacan e o pensamento de Hannah Arendt através do conceito de autoridade, levando em conta o entrelaçamento desse conceito às noções de fundação e transmissão. Inicialmente, definimos a diferença entre o âmbito de análise desses autores a partir ideias de pluralidade de indivíduos em Arendt e sujeito do inconsciente na psicanálise. Então, trabalhamos com o conceito de autoridade em Hanna Arendt. Segundo a autora, o primeiro modelo de autoridade na esfera pública foi proposto pelos romanos, quando se referiram a uma fonte externa de autoridade para pedir a obediência aos subordinados, no caso, o ato fundador da cidade de Roma pelos antepassados. A referência a esse elemento exterior estabelece uma hierarquia e os governados consentem com a autoridade dos governantes. Nesse sentido, a autoridade está ligada à transmissão da tradição e é uma forma de preservar o passado. Ainda segundo a autora, esse conceito foi modificado na Revolução Americana, quando os americanos distinguiram a fonte do poder, o povo, da fonte de autoridade, a Constituição, passando a referir-se ao produto do seu próprio ato e não a seus antepassados como referência de autoridade. Ao analisar a fundação desse novo corpo político, a autora coloca que a transmissão dessa novidade se dá por meio da autoridade e isso constituiu um impasse na política moderna. Na via da psicanálise, abordamos o mito do assassinato do pai primevo e o complexo de Édipo com vistas a demarcar a relação entre a fundação da sociedade e a transmissão da lei; assinalando que, assim como Arendt, a psicanálise também entende que a autoridade deriva de uma relação de desigualdade, mas, por sua vez, utiliza o conceito de transferência para compreendê-la em nível metapsicológico. Nesse ponto, é possível reconhecer uma divergência na posição dos autores em relação à possibilidade de uma separação clara entre a infância e a vida a adulta, o que nos permite colocar em diálogo os conceitos de sujeito do inconsciente e indivíduo político. A pesquisa será realizada teoricamente pelas operações de leitura e escrita, conforme postuladas na psicanálise; a saber, a dimensão significante dos textos será levada em conta, o que implica em um retorno à letra dos autores com vistas à produção de articulações que acrescentem algo aos sentidos já consagrados pelos seus comentadores.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
COSTARDI, Gabriela Gomes. Ato entre vários: reflexões teóricas para uma política da psicanálise de inspiração arendtiana. 2015. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Psicologia São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.