Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do vírus influenza pelo método de Real Time RT-PCR, em aves marinhas da região Antártica

Processo: 12/14255-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Edison Luiz Durigon
Beneficiário:Marina Maria Moraes de Seixas
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Técnicas de diagnóstico molecular   Antártica   Influenza   Microbiologia

Resumo

Os vírus da influenza aviária (IA) de alta patogenicidade têm provocado epidemias e pandemias gripais em seres humanos através dos tempos, alem de ser capaz de causar debilidade e mortalidade em outras espécies animais.As aves selvagens são os reservatórios naturais dos vírus Influenza, dentre essas, as aves migratórias possuem um importante papel como agentes transmissores na disseminação de doenças, por suas longas rotas, em áreas distintas de nidificação e invernada. O aumento da atividade humana e conseqüente risco de introdução de doenças na vida selvagem em locais tão inóspitos como a Antártida, faz-se de grande importância para o estudo da epidemiologia do vírus IA em aves marinhas, migratórias e residentes neste ambiente. Portanto, os objetivos desde trabalho visam analisar a presença do vírus Influenza em amostras de aves marinhas, migratórias e residentes em ambiente antártico, caracterizar molecularmente as amostras positivas, e identificar potenciais riscos à saúde animal e pública, devido as rotas de migração das aves para a América e Brasil.Serão analisadas 500 amostras de swab orotraqueal e cloacal coletadas em aves marinhas das espécies Pygosceles papua (Pinguim-papua), Pygosceles antarctica (Pinguim-antártico), Pygoscelis adeliae (Pinguim-de-adelia), Catharacta lonngberg (Skua) e Daption capense (Pomba-do-cabo), entre os anos 2010, 2011 e 2012 nas ilhas Elefante e Rei George, Antártica.As amostras serão testadas para a detecção de material genético do vírus da IA pela tecnica de Real Time Polymerase Chain Reaction (RT-PCR). As amostras positivas serão seqüenciadas e caracterizadas molecularmente. Espera-se desta forma, contribuir para o conhecimento da ecologia desses vírus em tal ambiente, assim como, para propostas de prevenção aos possíveis impactos deste vírus à saúde humana e animal na América do Sul.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SEIXAS, Marina Maria Moraes de. Estudo do vírus Influenza em aves marinhas na região subantártica.. 2014. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.