Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da deficiência de folato após a fortificação mandatória de ácido fólico e consequências à saúde: estudo de base populacional no município de São Paulo

Processo: 12/18600-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Nutrição - Análise Nutricional de População
Pesquisador responsável:Dirce Maria Lobo Marchioni
Beneficiário:Amanda de Souza Barreto
Instituição-sede: Faculdade de Saúde Pública (FSP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/19788-1 - Avaliação da deficiência de folato após a fortificação mandatória de ácido fólico e consequências à saúde: estudo de base populacional no município de São Paulo, AP.R
Assunto(s):Ácido fólico   Folato   Alimentos fortificados

Resumo

Folato tem merecido destaque como nutriente-chave envolvido na manutenção da saúde e prevenção de doenças. Além do seu já estabelecido papel na diminuição da incidência de má formação de tubo neural, o folato, juntamente com as vitaminas B6 e B12, relaciona-se metabolicamente à hcy que, por sua vez, relaciona-se ao aumento do risco da ocorrência de eventos como demência, doença de Alzheimer, fratura óssea, cânceres, sobretudo das doenças cardiovasculares. Em muitos países, inclusive no Brasil, a fortificação de alimentos com ácido fólico foi adotada como estratégia pública de prevenção e combate à deficiência nutricional da vitamina. Destaca-se que são conflituosos os resultados de estudos na avaliação do consumo dietético de folato e ácido fólico e seus correspondentes níveis séricos e hcy. A ausência de métodos para mensuração acurada da ingestão dietética possivelmente seja a razão da frequente ausência de associação entre a ingestão de alimentos e as doenças crônicas ou até mesmo a ausência de relação entre a ingestão do nutriente e o seu respectivo biomarcador. Desta maneira, a partir dos dados de estudo de base populacional em São Paulo (ISA-Capital), que utilizou o método R24h com medida duplicada para mensurar a ingestão dietética e coletou amostra de sangue, neste projeto propomos 1) o desenvolvimento e a aplicação de metodologia estatística para o estudo das relações entre a ingestão habitual de nutrientes que participam direta, ou indiretamente, do metabolismo da hcy e 2) Avaliar o consumo dietético e nível sanguíneo de folato, hcy e ácido fólico não-metabolizado após a fortificação mandatória com ácido fólico, considerando as variantes genéticas envolvidas neste metabolismo. (AU)