Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do uso simultâneo de etanol e cafeína sobre a proliferação celular no giro denteado do hipocampo de ratos bebedores voluntários de etanol (linhagem UChB)

Processo: 12/10870-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Luiz Fernando Takase
Beneficiário:Daniela Rubio Baltazar
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Neurogênese   Hipocampo   Alcoolismo

Resumo

A combinação de etanol e cafeína, principalmente através do consumo bebidas "energéticas", vem se tornando cada vez mais popular, pois acredita-se que a cafeína possa antagonizar os efeitos da intoxicação alcoólica. Entretanto, estudos demonstraram que a cafeína apenas diminui a percepção subjetiva da intoxicação, sem no entanto, diminuir sua intensidade. Esta alteração pode levar ao aumento do consumo de etanol. Além de seus efeitos neurodegenerativos, o consumo crônico de etanol também pode inibir a neurogênese (produção de novos neurônios) no giro denteado do hipocampo. A cafeína por sua vez, pode ter diferentes efeitos, dependendo da dose administrada; enquanto concentrações moderadas inibem a neurogênese, doses extremas podem estimulá-la. Desta maneira, o uso comcomitante destas duas substâncias, através do aumento do consumo de etanol, pode exacerbar a inibição da neurogênese, agravando os problemas comportamentais e cognitivos comumente observados em pacientes alcoólicos. Assim, o presente estudo tem como objetivo analisar os efeitos do uso simultâneo do etanol e cafeína sobre a proliferação celular no giro denteado do hipocampo de ratos UChB, uma linhagem especial que bebe voluntariamente grandes quantidades de etanol. Serão utilizados animais UChB machos, mantidos em biotério com condições controladas (ciclo claro/escuro de 12/12h, início do claro às 7:00; temperatura de 23±2oC). Os ratos UChB serão divididos nos grupos Et-Caf (Etanol+Cafeína) e Et-Cont (Etanol Controle), que receberão solução de 10% de etanol mais cafeína (30 mg/l) ou solução de 10% de etanol, respectivamente, durante o período de 60 dias. Os animais do grupo CB (Controle Basal), formado por ratos wistar padrão, serão mantidos em condições normais, sem receber etanol ou cafeína. Ao final deste período, os animais serão submetidos a dois testes de memória: teste de habituação ao campo aberto e teste de reconhecimento de objetos. Os animais serão perfundidos, os encéfalos removidos e processados com técnicas de imunohistoquímica contra Ki-67 para análise da proliferação celular. Uma série de cortes será corada com violeta de cresila para análise da densidade celular e análise volumétrica do giro denteado e suas subdivisões. O estudo proposto pode ter importantes correlações clínicas uma vez que a interação destas substâncias pode potencializar a supressão da neurogênese, agravando os problemas cognitivos e comportamentais observados em pacientes alcoólicos.