Busca avançada
Ano de início
Entree

Metodologia para avaliação de segurança do modelo alocação de unidades geradoras considerando restrições AC

Processo: 12/11292-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 19 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 18 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Elétrica - Sistemas Elétricos de Potência
Pesquisador responsável:Marcos de Almeida Leone Filho
Beneficiário:Marcos de Almeida Leone Filho
Anfitrião: Warren Buckler Powell
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Princeton University, Estados Unidos  
Vinculado ao auxílio:08/58508-1 - HidroRisco: tecnologias de gestão de riscos aplicadas a sistemas de suprimento hídrico e de energia elétrica, AP.TEM
Assunto(s):Transmissão de energia elétrica   Análise de risco

Resumo

Este projeto de pesquisa propõe analisar a viabilidade elétrica do sistema de transmissão de energia sob cenários de contingências em um ambiente competitivo com diferentes fontes de energias renováveis e intermitentes como é o caso, por exemplo, da energia eólica e da energia solar. Neste contexto, este projeto de pesquisa irá abordar os problemas mais recentes provenientes da penetração e popularização de novas fontes de energia sustentáveis e, desta forma, abordará um dos aspectos do planejamento de sistemas hidrelétricos sob situações de risco. Assim, será proposta uma nova metodologia para avaliação de risco e validação do modelo de alocação de unidades geradoras (Unit Commitment Model) usando simulações computacionais de fluxo de potência AC. Além disto, o modelo de alocação de unidades geradoras será validado também em cenários sintéticos de possíveis contingências através de simulações de fluxo de potência AC executados paralelamente em cluster computacional de alto desempenho. Com tudo isto, pretende-se desenvolver uma metodologia capaz de validar de forma íntegra o modelo de pré-despacho de energia elétrica, além de fornecer subsídios para os operadores de sistemas elétricos de potência operar de forma segura e aprender a lidar com possíveis contingências. (AU)