Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação molecular das espécies da subfamília Corydoradinae (Siluriformes: Callichthyidae)

Processo: 12/18270-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Claudio de Oliveira
Beneficiário:Gláucia Maria Garcia Maia
Supervisor no Exterior: Robert Hanner
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Guelph, Canadá  
Vinculado à bolsa:12/01140-8 - Identificação molecular das espécies da subfamília Corydoradinae (Siluriformes: Callichthyidae), BP.MS
Assunto(s):Código de barras de DNA taxonômico   DNA mitocondrial   Complexo IV da cadeia de transporte de elétrons

Resumo

A ictiofauna de água doce Neotropical é a mais rica de todo o planeta. Das 13.000 espécies estimadas de peixes de água doce, aproximadamente 6.000 espécies encontram-se na região Neotropical e estima-se que esse número possa chegar à mais de 8.000 espécies. Estudos recentes tem proposto o uso do gene mitocondrial Citocromo c oxidase subunidade I (COI) como um sistema global de identificação para todos os seres vivos. Considerando os dados bastante promissores obtidos para diversos grupos de animais com o uso do sequenciamento do gene COI, o presente projeto tem como objetivo principal testar a hipótese de que é possível identificar molecularmente as espécies de um grupo especioso de peixes, no caso a subfamília Corydoradinae, utilizando a técnica de DNA barcode. Para tanto pretende-se sequenciar um segmento do gene COI de 5 exemplares de pelo menos 100 espécies da subfamília Corydoradinae e, com base na variabilidade genética observada, identificar os valores limites entre gêneros e espécies. Para espécies com ampla distribuição pretende-se analisar o maior grupo de amostras possível, buscando avaliar a variabilidade genética das mesmas, possibilitando, se for o caso, sugerir a descrição de novas espécies. Com os dados gerados pretende-se ainda criar um banco de dados para permitir uma identificação molecular dos exemplares estudados. (AU)