Busca avançada
Ano de início
Entree

A QCD no LHC e nos futuros aceleradores

Processo: 12/15765-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2012
Vigência (Término): 07 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física das Partículas Elementares e Campos
Pesquisador responsável:Fernando Silveira Navarra
Beneficiário:Erike Roberto Cazaroto
Instituição-sede: Instituto de Física (IF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/21759-5 - Vértices de multi-pomerons no formalismo do condensado de vidro de cor, BE.EP.PD
Assunto(s):Espalhamento   Encanto (física)   Fenomenologia (física de partículas)   Glúons   Cromodinâmica quântica   Grande Colisor de Hádrons

Resumo

O LHC vem produzindo dados experimentais sobre colisões próton-próton e chumbo-chumbo e estão previstos para um futuro próximo experimentos de colisões próton-chumbo. Além disso, no LHeC serão realizadas colisões elétron-próton e elétron-núcleo.Um dos temas que abordaremos no meu pós-doutorado é a saturação de glúons. Nós pretendemos calcular diferentes observáveis que serão medidos no LHC. Nestes cálculos nós usaremos modelos de saturação e modelos lineares da QCD, e compararemos os seus resultados para verificarmos quais observáveis são sensíveis aos efeitos de saturação na distribuição gluônica. Nas minhas publicações do mestrado e do doutorado nós abordamos este tema de forma sistemática.No estudo da saturação de glúons nós nos concentraremos principalmente na física dos processos difrativos. Recentemente, pesquisadores da Universidade de Uppsala (Suécia) propuseram um novo modelo para a seção de choque difrativa. Esse novo modelo mostrou-se bem sucedido na descrição dos dados experimentais mais recentes do HERA sobre espalhamento inelástico profundo difrativo (DDIS) e nós pretendemos usá-lo para calcular os principais observáveis de processos difrativos que serão medidos no LHC e em futuros colisores.Nós pretendemos também estudar o conteúdo de charme intrínseco dos hádrons. Trata-se da componente de charme da função de onda hadrônica que não pode ser calculada com QCD perturbativa. Esta componente tem como principal assinatura uma assimetria na produção de mésons D+ / D-, o que já foi observado em experimentos feitos em aceleradores anteriores ao LHC. Um dos modelos que utilizaremos em nossos cálculos para o estudo do charme intrínseco é o chamado "meson cloud model". (AU)