Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do papel dos eosinófilos como células apresentadoras de antígenos in vitro e ex vivo

Processo: 12/08024-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2012
Vigência (Término): 31 de outubro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Helmintologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Fernanda de Freitas Anibal
Beneficiário:Joice Margareth de Almeida Rodolpho
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Eosinófilos

Resumo

Dentre as doenças parasitárias que acometem principalmente crianças podemos destacar a Síndrome da Larva Migrans Visceral (SLMV), causada pelo Toxocara canis, um dos helmintos mais freqüente em cães. A infecção do ser humano ocorre pela ingestão de ovos contendo larvas viáveis do parasita, as quais atravessam o intestino delgado, atingem a circulação sangüínea e migram por longo período nos diferentes tecidos do hospedeiro. Uma das principais conseqüências desta infecção é o aumento marcante de eosinófilos principalmente nos pulmões e no sangue circulante, além do aumento de IgE sérica. Trabalhos anteriores investigaram os eosinófilos na função de APC e sugeriram que um dos melhores papéis imunorregulatórios dos eosinófilos seja o de funcionar como uma célula apresentadora de antígenos, principalmente durante infecções causadas por helmintos. Recentemente, alguns autores mostraram que o eosinófilo estimulado com GM-CSF sob condições experimentais é capaz de expressar MHC II, CD80 e CD86, sugerindo que essas células podem atuar como APC in vivo em diferentes doenças incluindo asma, pneumonias eosinofílicas crônicas e diversas doenças parasitárias. Pesquisas realizadas em nosso laboratório demonstraram que eosinófilos tem a capacidade de expressar moléculas coestimulatórias (CD80, CD86) e moléculas de MHCII no modelo da SLMV ex vivo. No entanto, essas observações não são suficientes para provarem que os eosinófilos podem atuar como uma APC funcional. Por outro lado, as evidências sobre esse importante papel e o conhecimento de como os eosinófilos atuam como APC é ainda é pouco compreendido, principalmente no contexto da infecção pelo Toxocara canis. Dessa forma, iremos investigar como os eosinófilos se apresentam como APC utilizando estímulos de antígenos de T. canis.Palavras chaves: eosinófilos, APC, Síndrome da Larva Migrans Visceral

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DE ALMEIDA RODOLPHO, JOICE MARGARETH; CAMILLO, LUCIANA; SILVA ARAUJO, MARCIO SOBREIRA; SPEZIALI, ELAINE; COELHO-DOS-REIS, JORDANA GRAZZIELA; CORREIA, RICARDO DE OLIVEIRA; NERIS, DEBORA MEIRA; MARTINS-FILHO, OLINDO ASSIS; TEIXEIRA-CARVALHO, ANDREA; ANIBAL, FERNANDA DE FREITAS. Robust Phenotypic Activation of Eosinophils during Experimental Toxocara canis Infection. FRONTIERS IN IMMUNOLOGY, v. 9, JAN 31 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.