Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção do vírus da cinomose canina por diferentes metodologias analíticas

Processo: 12/15666-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Valber de Albuquerque Pedrosa
Beneficiário:Caroline Rodrigues Basso
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/05655-8 - Estudo comparativo da imobilização orientada de anticorpo e phage sobre a capacidade de um imunossensor, BE.EP.MS
Assunto(s):Técnicas biossensoriais

Resumo

Este projeto tem como objetivo desenvolver uma nova metodologia para detectar o vírus da cinomose canina utilizando a técnica de ressonância plasmônica de superfície (surface plasmon resonance SPR). O vírus da cinomose canina conhecido como CDV (Canine distemper vírus) acomete animais de ordem carnívora e é considerada uma das doenças canina mais difícil de diagnosticar. O CDV pode ser transmitido através de contato direto entre animais infectados e por meio de partículas de aerossóis disseminadas no ar, causando o aparecimento dos sintomas clínicos da doença cujos mais comuns são convulsão, contração muscular localizada, aparecimento de vesículas, pústulas, mucosas na pele do animal e conjuntivite serosa nos olhos. Atualmente existem varias técnicas para o diagnóstico da cinomose canina entre eles se destacam os métodos ELISA, hibridização in sito, testes sorológicos, fluorescência e técnica de PCR, porém os mesmos podem apresentar resultados de falso- positivo e além do elevado custo não sendo assim tão acessível ao consumidor final. Levando em conta a alta taxa de mortalidade dos animais infectados, faz necessário o desenvolvimento de uma metodologia confiável e de baixo custo. Por isso a técnica de SPR se apresenta como uma ferramenta analítica que pode identificar a presença tanto do sorotipo quanto do anticorpo, além de determinar os valores da cinética de adsorção e desorção desse processo. O objetivo do presente projeto é desenvolver e padronizar um novo método de detecção para o diagnóstico rápido da cinomose canina em amostras reais de urinas de cães.

Publicações científicas (4)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VERDOODT, NIELS; BASSO, CAROLINE R.; ROSSI, BRUNA F.; PEDROSA, VALBER A. Development of a rapid and sensitive immunosensor for the detection of bacteria. Food Chemistry, v. 221, p. 1792-1796, APR 15 2017. Citações Web of Science: 16.
BASSO, CAROLINE RODRIGUES; SEMPIONATTO, JULIANE R.; TOZATO, CLAUDIA C.; ROCHA, GUSTAVO C.; ARAUJO, JR., JOAO PESSOA; PEDROSA, VALBER A. Effects of Protein A in Detection of Canine Distemper Virus Through Immunosensor Construction. IEEE SENSORS JOURNAL, v. 15, n. 8, p. 4677-4683, AUG 2015. Citações Web of Science: 1.
BASSO, CAROLINE R.; TOZATO, CLAUDIA C.; JUNIOR, JOAO PESSOA A.; PEDROSA, VALBER A. A fast and highly sensitive method for the detection of canine distemper virus by the naked eye. ANALYTICAL METHODS, v. 7, n. 6, p. 2264-2267, 2015. Citações Web of Science: 9.
BASSO, CAROLINE RODRIGUES; TOZATO, CLAUDIA DE CAMARGO; MENDES RIBEIRO, MARCELA CRISTINA; ARAUJO JUNIOR, JOAO PESSOA; PEDROSA, VALBER A. A immunosensor for the diagnosis of canine distemper virus infection using SPR and EIS. ANALYTICAL METHODS, v. 5, n. 19, p. 5089-5095, 2013. Citações Web of Science: 6.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BASSO, Caroline Rodrigues. Detecção do vírus da cinomose canina por diferentes metodologias analíticas. 2015. 68 f. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Botucatu)..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.