Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise de rede da aprendizagem do medo condicionado ao contexto na ausência do hipocampo

Processo: 12/17619-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 01 de abril de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia
Pesquisador responsável:Maria Gabriela Menezes de Oliveira
Beneficiário:Cesar Augusto de Oliveira Coelho
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/10907-3 - Efeito da aprendizagem da controlabilidade de um estressor na prevenção do retorno do medo condicionado em humanos: análises de conectividade funcional do sinal BOLD da ressonância magnética funcional, BE.EP.DR
Assunto(s):Hipocampo   Condicionamento (psicologia)   Medo   Neuroimagem   Conectividade cerebral   Teoria dos grafos

Resumo

O hipocampo é uma região central no processamento de informações sobre eventos e o contexto em que ocorrem, assim como na consolidação e retenção dessas memórias. O desempenho de humanos e outros animais com lesões hipocampais em paradigmas que necessitam do uso de informações contextuais, espaciais, de navegação e similares é profundamente afetado. No modelo de Condicionamento de medo ao contexto (CMC), a importância do hipocampo é bem demonstrada em modelos de amnésia retrógrada (trauma amnésico após o evento de aprendizagem), mas modelos de amnésia anterógrada (trauma/lesão anterior à aprendizagem) não são tão afetados pela lesão ou inativação do hipocampo. Há a hipótese de que outras regiões, também envolvidas em processamento de informações contextuais, estejam de certa forma compensando a falta do hipocampo e/ou adquirindo informações que sejam suficientes para a aprendizagem aversiva do modelo. Essas regiões têm interação íntima com o hipocampo, mas cobrem uma área cortical extensa, além de regiões subcorticais. Por isso, investigar como ocorre a compensação da falta do hipocampo, assim como a forma como se dá a aprendizagem do CMC torna-se complicado com os métodos tradicionais de manipulação farmacológica de uma única região. Assim, métodos que permitam visualizar a dinâmica de conectividade de forma mais global, como a análise de redes por teoria de grafos, se mostram de grande valia para entender o fenômeno em questão. A teoria de grafos enquanto método análise de conectividade estrutural e funcional tem sido crescentemente adotado em muitos estudos de neurociências, fornecendo uma perspectiva nova e promissora, inclusive em preparações com o CMC. O presente estudo almeja analisar, pela teoria de grafos, a conectividade funcional de animais com hipocampo lesionado e utilizar essa análise para inferir diferenças e similaridades (comparando com aquela de animais controle) que possam estar subsidiando a aprendizagem de medo ao contexto. A construção da rede utilizará como dado a expressão da proteína CREB (fosforilada, pCREB), envolvida na indução de plasticidade neuronal decorrente de aprendizagem. Espera-se, com os modelos inferidos pela análise de grafos, propor hipóteses formuladas com base nos próprios dados, e poder testá-las posteriormente em experimentos com manipulação mais específica. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
COELHO, CESAR A. O.; FERREIRA, TATIANA L.; KRAMER-SOARES, JULIANA C.; SATO, JOAO R.; OLIVEIRA, MARIA GABRIELA M. Network supporting contextual fear learning after dorsal hippocampal damage has increased dependence on retrosplenial cortex. PLOS COMPUTATIONAL BIOLOGY, v. 14, n. 8 AUG 2018. Citações Web of Science: 1.
ARAUJO, PAULA; COELHO, CESAR A.; OLIVEIRA, MARIA G.; TUFIK, SERGIO; ANDERSEN, MONICA L. Neonatal Sleep Restriction Increases Nociceptive Sensitivity in Adolescent Mice. Pain Physician, v. 21, n. 2, p. E137-E148, MAR-APR 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.