Busca avançada
Ano de início
Entree

É possível reverter a degradação do solo provocada pela mineração de bauxita por meio da restauração ecológica?

Processo: 12/05767-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 05 de setembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Silvicultura
Pesquisador responsável:Pedro Henrique Santin Brancalion
Beneficiário:Denise Teresinha Gonçalves Bizuti
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/21135-4 - É possível reverter a degradação do solo provocada pela mineração de bauxita por meio da restauração ecológica?, BE.EP.DR
Assunto(s):Restauração florestal   Restauração ecológica   Solos

Resumo

A mineração é uma das atividades antrópicas mais impactantes aos recursos naturais, e que pode afetar profundamente a resiliência dos ecossistemas em função do nível de degradação do solo. Diante disso, muitas áreas mineradas não são efetivamente recuperadas a ponto de restabelecer parte relevante da biodiversidade e dos serviços ambientais, restringindo-se à reabilitação. No entanto, novos métodos de restauração ecológica têm gerados resultados promissores mesmo em situações de degradação tão intensa como as de mineração, o que permitiria rever os níveis mínimos de qualidade ambiental exigidos de áreas que foram mineradas e que precisam passar por um processo de recuperação como forma de mitigação de impactos ambientais. Assim, o objetivo desse estudo é avaliar a recuperação física, química e microbiológica do solo em áreas em processo de recuperação ambiental, com diferentes métodos, após exploração de bauxita. As áreas de estudo estarão inseridas em dois locais pertencentes à ALCOA Alumínio em Poços de Caldas-MG, as quais foram submetidas a métodos de restauração florestal e reabilitação florestal após a mineração. Serão avaliadas 2 áreas recém mineradas, 9 restauradas, 9 reabilitadas e 2 remanescentes naturais. Em cada área, serão estabelecidas 4 unidades amostrais equidistantes e sistematicamente distribuídas. Cada unidade amostral corresponderá a um ponto de coleta, sendo esse composto por 15 sub-amostras georreferenciadas, nas profundidades de 0-5, 5-10, 10-20, 20-40, 40-60 cm e 0-10 cm no perfil do solo para as análises químicas, físicas e microbiológicas, respectivamente. Os parâmetros químicos avaliados serão pH, matéria orgânica (M.O), carbono total, P, Al, H + Al-1, K, Ca, Mg, soma de bases (SB), capacidade de troca de cátions (CTC), saturação por bases (V%) e saturação por alumínio (m%); os físicos, textura (areia, silte e argila), densidade, macroporosidade e microporosidade, porosidade total, capacidade de água disponível (CAD), argila dispersa em água, percolação e compactação e os microbiológicos, diversidade microbiana e taxa de respiração basal. O índice de qualidade do solo será determinado através do modelo aditivo ponderado.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
BIZUTI, Denise Teresinha Gonçalves. É possível reverter a degradação do solo provocada pela mineração de bauxita por meio da restauração florestal?. 2016. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Piracicaba.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.