Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do cetorolaco de trometamina sobre a expressão da óxido nítrico sintase-2 e da metaloproteinase-9, na córnea de coelhos ulceradas com hidróxido de sódio

Processo: 12/21169-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de novembro de 2012
Vigência (Término): 31 de maio de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:José Luiz Laus
Beneficiário:Gisele Pereira Valdetaro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/07848-0 - Efeitos do cetorolaco de trometamina sobre a expressão da oxido nítrico sintase-2 e da metaloproteinase-9, na córnea de coelhos ulceradas com hidróxido de sódio, AP.R
Assunto(s):Cetorolaco de trometamina   Oftalmologia veterinária

Resumo

Com o presente objetiva-se avaliar a expressão da oxido nítrico sintase -2 (NOS-2) e da metaloproteinase-9 (MMP-9) em córneas de coelhos ulceradas por álcali e tratadas localmente com cetorolaco de trometamina. Após anestesia geral, produziu-se-ão úlceras com hidróxido de sódio em doze coelhos. O olho esquerdo de cada animal será tratado com cetorolaco de trometamina 0,5% e o olho direito com solução salina a 0,9%, a intervalos regulares de 6 horas. De seis animais as córneas serão colhidas decorridas 24 horas das lesões iniciais, do restante, o mesmo se dará após reepitelização das mesmas. As córneas serão removidas, formalizadas e incluídas em parafina. Anticorpos policlonais serão empregados para a imunoistoquímica, visando a identificação da expressão de NOS-2 e MMP-9, pela técnica do complexo estreptavidina biotina peroxidase, com revelação pela diaminobenzidina. O escore de imunomarcação será avaliado segundo escala semi-quantitativa em ausente (0), discreto (1), moderado (3) e intenso (4), relativamente à presença de células positivas para a NOS-2 e para MMP-9. Empregar-se-á análise de variância para medidas repetidas, com posterior avaliação por post-hoc teste apropriado, de acordo com a normalidade dos dados. Possíveis correlações entre o escore de imunomarcação da NOS-2 e da MMP-9 serão submetidos ao teste de Sperman. Em todas as análises adotar-se-á nível mínimo de significância de p d 0,05.