Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos funcionais da proteína reguladora humana Ki-1/57 e análises de possíveis mutações do seu gene em câncer

Processo: 12/12897-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Jörg Kobarg
Beneficiário:Fernanda Cristina Costa
Instituição-sede: Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias   Expressão gênica   Mutação

Resumo

Ki-1/57 foi descoberta através da reatividade cruzada com um anticorpo monoclonal Ki-1, o primeiro anticorpo descrito para detectar células de linfoma de Hodgkin. Estudos preliminares dessa proteína revelaram características muito comuns a onco proteínas. Através de experimentos de duplo híbrido foi possível identificar proteínas parceiras e muitas delas envolvidas no controle da transcrição e metabolismo de RNA. Muitas das parceiras de Ki-1/57 são proteínas que se ligam diretamente a p53 ou fazem parte da família p53, fator de transcrição supressor tumoral, e um importante mediador de resposta celular a estresse. Outra proteína, CGI-55, apresenta 40,7% de identidade e 67,4% de similaridade com Ki-1/57, o que sugere ser uma proteína paráloga com função similar ou redundante. Resultados de experimentos de duplo híbrido reforçam essa suposição, uma vez que proteínas parceiras em comum foram identificadas para Ki-1/57 e CGI-55. Muitas dessas são proteínas nucleares envolvidas com controle transcricional, sugerindo uma possível função nuclear para Ki-1/57 e CGI-55, associada a eventos de regulação da transcrição. Foi identificado também que Ki-1/57 interage com proteínas envolvidas em splicing, colocaliza com grânulos de estresse e é sumoilada. Dados prévios de experimentos de microarray oferecem uma nova perspectiva da função de Ki-1/57, o seu envolvimento em mecanismos de resposta celular a estresse, uma vez que sua superexpressão levou a repressão de genes envolvidos na proliferação e morte celular. Em conjunto com as informações de interação proteína-proteína disponíveis, esses dados de microarranjos e localização subcelular, sugerem que a ação de Ki-1/57, sob essas condições, ocorreria nos diferentes níveis do controle da expressão gênica, da transcrição à tradução. Com o intuito de avaliar com maior profundidade as possíveis funções de Ki-1/57 e CGI-55 pretendemos obter células RNAi para esses genes, além da co-superexpressão de Ki-1/57 e p53, seguidos de analises de expressão gênica global por microarray, estudos de ciclo celulares e estresse.Ki-1/57 também tem sido relacionada com câncer, tendo sido observada ua expressão em células tumorais. E o locus cromossômico que o gene Ki-1/57 esta localizado apresenta-se em desequilíbrio de ligação com câncer de cólon. Para investigar essa relação, a expressão de Ki-1/57 em tecidos de câncer será investigada por Real-Time PCR e analisaremos possíveis mutações desse gene em pacientes com câncer através do sequenciamento.