Busca avançada
Ano de início
Entree

Comerciantes em Minas Gerais: perfil, atuação e enraizamento social dos mercadores de escravos (comarca de Vila Rica, 1725-1773)

Processo: 12/51100-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História Moderna e Contemporânea
Pesquisador responsável:Leila Mezan Algranti
Beneficiário:Aldair Carlos Rodrigues
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/23508-2 - Comerciantes em Minas Gerais: perfil, atuação e enraizamento social dos mercadores de escravos (Comarca de Vila Rica, 1725-1773), BE.EP.PD
Assunto(s):História do Século XVIII   Comerciantes   Mobilidade social   Minas Gerais

Resumo

O tema central deste projeto diz respeito ao perfil, atuação e inserção social dos comerciantes de Minas Gerais, com atenção especial aos mercadores de escravos da comarca de Vila Rica, entre 1725 e 1773. Tais agentes serão analisados a partir de três eixos principais. Primeiramente, procuraremos definir os contornos sociais do conjunto: origens geográficas, condições de migração, faixas etárias, ocupação dos pais e avós, níveis de riqueza, entre outros aspectos. Em seguida, serão caracterizados no que tange ao seu envolvimento com as práticas comerciais, sendo também situados na hierarquia mercantil da capitania de Minas Gerais e, numa perspectiva mais ampla, do império português. No terceiro eixo de análise, o foco é dado sobre o complexo processo de enraizamento do grupo na sociedade mineradora, procurando esquadrinhar as tensões e acomodações que marcaram tal fenômeno e as configurações adquiridas pelo estatuto social dos mercadores de negros neste contexto. O desenvolvimento das problemáticas deste projeto, além do diálogo com a bibliografia pertinente ao tema, será subsidiado pela pesquisa em documentos manuscritos do século XVIII conservados em arquivos brasileiros (de Minas Gerais, principalmente, e do Rio de Janeiro) e portugueses. A pesquisa documental será realizada por meio do método prosopográfico por ser adequado ao estudo das trajetórias de vida dos comerciantes de escravos e das redes de relacionamento, crédito e negócios nas quais estavam inseridos. Tal procedimento permite trazer para o primeiro plano as pessoas, esclarecendo as lógicas de suas práticas e ações. (AU)